Vida rara na Antartida.Unidentified life in Antarctica

Após 20 anos de perfuração (20 anos! Isso que é dedicação!), Uma equipe de pesquisadores russos chegarama algo que ficou  preso sob mais de 2 quilômetros de gelo nos últimos 14 milhões de anos. Eles encontraram alguma coisa: Um exame preliminar de amostras de água do antigo lago Vostok subglacial perto do Pólo Sul indicou que seus habitantes não são encontrados em nenhum outro lugar na Terra. As espécies de bactérias, cujos vestígios foram encontrados em sondas de água do Lago Vostok, não pertencem a nenhum das  mais de 40 conhecidas  bactérias, disse Sergei Bulat, pesquisador do Laboratório de Genética do Euka- São Petersburgo Nuclear Instituto de Física. “Após a exclusão de todos os contaminantes conhecidos … descobrimos DNA bacteriano que não corresponde a qualquer espécie conhecidas listadas em bancos de dados globais. Nós chamamos isso de vida não identificada e “não classificado”, disse Bullat.

 After 20 years of drilling (20 years! Now that’s dedication!), a team of Russian researchers have reached Antarctica’s Lake Vostok, which has been trapped beneath more than 2 miles of ice for the last 14 million years. And they’ve found something: A preliminary examination of water samples from the ancient subglacial Lake Vostok near the South Pole indicated that its inhabitants are not to be found anywhere else on Earth, a member of the research team told RIA Novosti. The species of bacteria, whose traces were found in probes of water from Lake Vostok, do not belong to any of the 40-plus known subkingdoms of bacteria, said Sergei Bulat, a researcher at the Laboratory of Eukaryote Genetics at the St. Petersburg Nuclear Physics Institute. “After excluding all known contaminants…we discovered bacterial DNA that does not match any known species listed in global databanks. We call it unidentified and ‘unclassified’ life,” Bulat said.