A cura de um tumor cerebral. The cure of a brain tumor.

Um cardiologista aposentado conta a história de como um tumor maligno em seu cérebro passou por tratamento experimental com um vírus da poliomielite! Fritz Anderson foi diagnosticado com glioblastoma multiforme (GBM), um tipo particularmente letal de tumor cerebral. Cirurgia e quimioterapia não impediu o tumor de crescer.

Como os médicos não me examinou, era óbvio que o meu tumor já havia crescido novamente, na verdade, tinha quadruplicou de tamanho desde a minha primeira quimio e radioterapia. Foi-me oferecido vários tratamentos e protocolos experimentais, um dos quais envolvidos implantação de um vírus da poliomielite modificada no meu cérebro. (Isso foi muito bem sucedido no tratamento GBMs em camundongos.) Pesquisadores da Duke estava trabalhando nisso há 10 anos e tinha acabado de receber a permissão da FDA para o tratamento de 10 pacientes, mas apenas um por mês. (A Duke imprensa em maio passado explicou que o tratamento foi concebido para capitalizar “sobre a descoberta de que as células cancerosas têm uma grande quantidade de receptores que funcionam como ímãs na elaboração do poliovírus, que então infecta e mata as células. A terapia de investigação … usa uma forma de engenharia do vírus que é letal para as células cancerosas, enquanto inofensiva para as células normais. A terapia é infundido directamente no tumor de um paciente. A terapia baseada em vírus também desencadeia o sistema imunitário do corpo para atacar as células de tumor infectadas. “)

Para receber o vírus, de Anderson crânio foi exposto e foi instalado um sistema de gotejamento, durante seis horas. O tumor parou de crescer, e depois de dois anos, apenas uma cicatriz fica. E nós nos perguntamos por tanto tempo se os vírus servido qualquer finalidade.

A retired cardiologist tells the story of how a malignant tumor in his brain underwent experimental treatment -with a polio virus! Fritz Anderson was diagnosed with glioblastoma multiforme (GBM), a particularly lethal type of brain tumor. Surgery and chemotherapy didn’t stop the tumor from growing.

As doctors there examined me, it was obvious that my tumor had already grown again; in fact, it had quadrupled in size since my initial chemo and radiation. I was offered several treatments and experimental protocols, one of which involved implanting a modified polio virus into my brain. (This had been very successful in treating GBMs in mice.) Duke researchers had been working on this for 10 years and had just received permission from the FDA to treat 10 patients, but for only one a month. (A Duke press release last May explained that the treatment was designed to capitalize “on the discovery that cancer cells have an abundance of receptors that work like magnets in drawing the poliovirus, which then infects and kills the cells. The investigational therapy . . . uses an engineered form of the virus that is lethal to cancer cells, while harmless to normal cells. The therapy is infused directly into a patient’s tumor. The virus-based therapy also triggers the body’s immune system to attack the infected tumor cells.”)

To receive the virus, Anderson’s skull was exposed and a drip was installed for six hours. The tumor stopped growing, and after two years, only a scar is left. And we wondered for so long if viruses served any purpose.

O HPV ataca os homens ! HPV cancers in men!

O papilomavírus humano é uma ameaça bem conhecida e amplamente pesquisada para a saúde mulheres. Mas os homens também estão em risco, escreve Maggie Koerth-Baker , e a perspectiva científica é muito mais incerta.

Culturalmente falando, o vírus do papiloma humano (HPV) é uma coisa feminina. As mulheres fazem o teste de Papanicolaou, à procura de sinais de câncer cervical HPV-relacionados, como parte de sua manutenção regular de saúde. Quando uma vacina contra o HPV foi desenvolvida, ela foi originalmente destinada a mulheres, e as mulheres apenas.

Mas, do ponto de vista biológico, o HPV não faz muito sentido ser homem ou mulher e estamos fazendo a nós mesmos um desserviço ao ignorar essa realidade. Na verdade, como temos focado na prevenção do câncer do colo do útero (que, por razões óbvias, realmente só afeta as mulheres) temos esquecido um problema crescente que afeta desproporcionalmente os homens.

No mês passado, o ator Michael Douglas anunciou que seu câncer de garganta estava ligada ao HPV. Este não é um câncer comum descontroladamente – há cerca de 650 mil pessoas diagnosticadas com câncer de cabeça e pescoço em todo o mundo a cada ano , e cânceres de orofaringe (o tipo associado com HPV) representam apenas uma pequena parcela disso. Mas as taxas de câncer orofaríngeo está aumentando, e por isso as as percentagens desses cânceres são associados ao HPV.

As pessoas com maior risco são homens.

De acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças, a cada ano nos Estados Unidos , existem mais de 2.370 mulheres – e mais de 9.350 homens – diagnosticado com câncer de orofaringe relacionados ao HPV . A discrepância entre os sexos sempre esteve lá como câncer de orofaringe.Durante  a maior parte do século 20, esses tipos de câncer foram principalmente ligadas a fumar e beber – atividades que, em média, homens estão  tradicionalmente envolvidos  do que seus colegas do sexo feminino.
Mas  nos últimos 30 anos ou mais, isso mudou. As taxas de tabagismo diminuíram. Uma pesquisa publicada no Journal of Clinical Oncology em 2011 constatou que, entre 1984 e 1989, o HPV estava presente em 16,4% dos casos de câncer de orofaringe. Até o início do século 21, no entanto, esse número disparou. Entre 2000 e 2004, o HPV estava presente em 71,7% de todos os cânceres de orofaringe.
E, ainda, a diferença entre os sexos permaneceu.Michael Underbrink, professor assistente de otorrinolaringologia da Universidade de Texas Medical Branch, disse que poderia ser mais um caso de homens com mais exposição aos fatores de risco. HPV é sexualmente transmissível. Se o indivíduo médio tem mais parceiros sexuais e começa a ter relações sexuais mais cedo do que a média das mulheres, ele estaria com a razão de que homens podem ter mais risco de contraí-la. Mas Sara Pai, professor de otorrinolaringologia da Universidade Johns Hopkins, disse que a diferença pode ir mais fundo do que isso. Há evidências, por exemplo, que o sistema imunológico de homens não produzem muitos anticorpos para combater o HPV como as mulheres de fazer. Muito mais mulheres tem  contato com HPV e nunca tiveram câncer cervical. Na verdade, 95% das mulheres que são diagnosticadas com HPV irá destruir com sucesso o vírus em seus próprios corpos em curto espaço de tempo, Underbrink disse. Cinco por cento  terão infecções mais persistentes, e apenas um subconjunto  irão desenvolver câncer cervical.
Mas parece que há algo diferente acontecendo com os homens e câncer de orofaringe: “Os homens e as mulheres são expostos, mas os homens não parecem ser capazes de combatê-lo bem”, disse Pai.

Por que não há nenhum exame de Papanicolau para os homens

A cada dois ou três anos, começando em torno de 21 anos de idade, muitas mulheres norte-americanas passam por um ritual de saúde chamado de exame de Papanicolaou.
A experiência não é nada  divertida. Mas é uma maneira eficaz detectar câncer antes que ele se desenvolva. A  coleta de células do colo do útero para estudos médicos, procuram mudanças no tamanho, forma e cor das células – mudanças que poderiam ser um precursor para as células cancerígenas . O teste funciona, porque sabemos que o câncer cervical é causado por HPV, e nós sabemos como uma infecção pelo HPV avança (ou, mais frequentemente, não progride) para câncer cervical.
Essa informação é de valor inestimável para ajudar os médicos prevenir o câncer antes de começar e manter um olho em pacientes que têm um risco maior de ficar doente. Nos EUA, o sistema de cuidados de saúde das  mulheres está estruturado de uma forma que incentiva o teste regular – as prescrições para o controle de natalidade são geralmente feitos de maneira que as consultas ocorram em uma base ano a ano, garantindo que mulheres visitem  o seu ginecologista anualmente pelo menos.
Há uma boa razão para isso. Globalmente, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais comum em mulheres . Em países onde a maioria das mulheres não têm acesso regular a exame Papanicolau, o diagnóstico deste tipo de câncer são muito mais comuns e maiores porcentagens de mulheres morrem. As regiões menos desenvolvidas do mundo teve 453 mil novos casos diagnosticados de câncer do colo do útero em 2008. Metade das mulheres – 242 ,000 – morreram por causa da doença.Mulheres em regiões desenvolvidas, ao contrário, sofrem apenas uma fração da incidência: 76 mil novos casos e 32 mil mortes.
Historicamente, o câncer de orofaringe não teve esse tipo de grande impacto na saúde pública. Na verdade, foi  há apenas  uma década que os cientistas descobriram a ligação entre o câncer de orofaringe e HPV. Assim, não só houve  tempo para fazer a pesquisa sobre isso, Mas, novamente, isso está mudando. Esse mesmo trabalho de pesquisa a partir de 2011, que constatou aumento das taxas de HPV em amostras de câncer de orofaringe, também descobriu que a incidência da doença está aumentando também. Se as tendências atuais continuarem (e isso é sempre um “se”), poderia haver novos casos de câncer de orofaringe mais do que o câncer cervical diagnosticada nos EUA em 2020.
Se isso acontecer, Sara Pai  diz que  não vai ser fácil começar a testar os homens para as alterações celulares do mesmo  jeito que testar as mulheres com teste de Papanicolaou. O colo do útero pode parecer  difícil de alcançar , mas,  a partir de um ponto de vista médico, a parte traseira de sua garganta é muito pior.
Além disso, o câncer de orofaringe tendem a começar nas amígdalas. Isso é “dentro”, e não “na”. Os médicos podem fazer um exame de Papanicolaou, porque as células que precisam de ver para testar estão na superfície do colo do útero.
“Quando HPV infecta a amígdala,  está infectando fissuras profundas dentro da amígdala”, disse Pai.
Você não pode ver as lesões pré-cancerosas. A maioria dos cânceres de orofaringe são detectadas apenas após o câncer começar a se espalhar para os gânglios linfáticos do pescoço.
Isso é realmente uma grande parte da razão pela qual sabemos tão pouco sobre HPV e câncer de orofaringe, ao contrário de HPV e câncer cervical. Algumas das informações mais básicas – como o número de homens que contraem o HPV em suas amígdalas, em comparação com o número que, eventualmente, desenvolvem câncer de garganta  – não estão disponíveis, porque nós ainda não descobrimos  uma maneira fácil de coletar os dados.
Em muitos aspectos, o maior problema com câncer de orofaringe relacionados ao HPV é que ele ainda é um mistério. Não há nenhum teste para ele. E nós temos apenas dados suficientes para saber que o problema está ficando maior.
Mas há, pelo menos, um pouco de boa notícia em tudo isso. Se você perceber  um câncer orofaríngeo relacionado a HPV-, deve  saber que é mais fácil de tratar do que a versão associada ao cigarro de três décadas atrás. “O HPV é muito mais sensível à quimio e radioterapia e há uma melhor taxa de cura ao longo do tempo”, disse Michael Underbrink. “De fato, alguns estudos dizem que nós não precisamos tratá-lo com o máximo de radiação se é isso que você tem.”
E sobre a vacina?
Até o momento, não há realmente quaisquer dados sobre como a vacina contra o HPV afeta as taxas de infecção por HPV em homens, ou as taxas de câncer de orofaringe. Isso  porque não temos uma maneira fácil de testar os homens para a infecção nas amígdalas e porque em 2011  ninguém estava recomendando que os homens e os meninos recebessem a vacina. Vai demorar um pouco para que os dados comecem a serem estudados.
Enquanto isso, aqui estão quatro coisas que você deve saber sobre a vacina contra o HPV, em geral.
1) Existem duas vacinas contra o HPV:Ambos tem como alvo duas das 14 estirpes de HPV que foram mostrados para causar câncer. Essas duas linhagens foram escolhidos porque eles causam 70% dos cancros do colo do útero. Uma das vacinas também tem como  alvos estirpes de HPV responsáveis ​​por verrugas genitais.Esta vacina é recomendada para os rapazes e para as moças.
2) A vacina ainda pode ser eficaz, mesmo se você já é sexualmente ativo : As recomendações da FDA especificam dar a vacina para pessoas menores de 26 anos, mas isso não significa que a vacina é perigosa ou definitivamente inútil para as pessoas mais velhas do que isso.Uma vacina contra uma doença sexualmente transmissível  vai ser mais eficaz em impedir a propagação da doença, em um nível de toda a população, se você está dando para as pessoas que não tiveram o sexo ainda.Porque é isso que as autoridades de saúde pública estão mais interessados ​​nisso e é por isso que a vacina tem sido mais exaustivamente testada. Mas os indivíduos são diferentes. Só porque você teve relações sexuais não significa que você já pegou HPV. Só porque você pegou HPV não significa que você tem as cepas da vacina que irá protege-lo. Se você estiver com mais de 26,  vale a pena perguntar ao seu médico sobre o assunto de qualquer maneira – especialmente se você é uma mulher que nunca teve um exame de Papanicolaou anormal.
3) Se você tiver sido diagnosticado com HPV, não entre em pânico : Nós não sabemos as estatísticas  sobre  homens, mas, pelo menos, 90% das mulheres diagnosticadas, a infecção vai embora .
4) A vacina é boa, pelo menos, de 6-10 anos. Sua eficácia provavelmente é por um tempo maior, mas os cientistas não tem certeza disso. A vacina não está à disposição há muito tempo e ainda estamos há espera dos resultados a longo prazo.

SOBRE O AUTOR

Maggie Koerth-Baker é o editor de ciência no BoingBoing.net. Ela escreve uma coluna mensal para a revista The New York Times e é o autor de Antes que as luzes saem , um livro sobre energia elétrica, infra-estrutura, e o futuro da energia. Você pode encontrar Maggie no Twitter e Facebook .

O lado do rosto que "fica" para o sol…drive?protect your skin…

Este senhor dirigiu seu caminhão durante 28 anos, sempre com a face exposta para o sol, vento,frio e agentes naturais agressores para a pele.O resultado aparece hoje…repasse e ajude as pessoas que você conhece.Lembre-se somos um país tropical.


This man spent 28 years driving a truck, thus exposing the left side of his face to the elements more often than the right. On Facebook, writer Joe Carter offers this prudent advice:

Protect your skin by doing what I do: Stay inside and let the only light that shines on your face be the glow of your computer screen.

If you have an Internet connection, there’s really no need to go outside.
Article Link | Joe Carter’s Twitter Feed
Photo: Jennifer R.S. Gordon, M.D., and Joaquin C. Brieva, M.D./New England Journal of Medicine

a dor e a pimenta / the pain and chili peppers.(also in english)

do site: boingboing.net

Os seres humanos   evitam a pimenta. A fruta contém uma substância irritante  chamada capsaicina. É tão forte que um miligrama do material branco cristalino sem sabor, se colocado na palma da mão queima como um cigarro aceso e a dor dura horas.

Nos mamíferos  as suas sementes morrem nas vísceras ao serem consumidas.. A capsaicina é a forma da planta de dizer ” afaste-se” (Sementes de pimenta Chili pode sobreviver sendo comido pelas aves, que não têm receptores para sentir capsaicina. Na verdade, as plantas de pimenta “querem” aves para comê-los porque as aves são excelentes vetores de propagação da semente.)
Diferentemente da maioria dos mamíferos, seres humanos desfrutam a queima de capsaicina em seu alimento e em grandes doses, a capsaicina faz com que a longo prazo ocorra a dessensibilização de neurônios que enviam sinais de dor ao cérebro.
O laboratório  NeurogesX em San Carlos, Califórnia criou um adesivo transdérmico de alívio da dor que contém capsaicina. Foi revestida com um gel transparente adesivado.  NeurogesX foi fundada pelo Dr. Wendye Robbins, baseado em seu sucesso em 1997 com capsaicina no tratamento de pacientes com dor do nervo debilitantes. Robbins usou um creme contendo capsaicina quase 10%  em pacientes com HIV que tinham dor crônica e grave do pé e que  tinham sido incapaz de encontrar alívio usando qualquer outro medicamento, incluindo a morfina . Sessenta por cento dos pacientes de Robbin relataram  que a dor havia sido reduzida em pelo menos 50 por cento. Agora, com US $ 30 milhões em capital de risco, NeurogesX tem um sistema transdérmico no mercado chamado Qutenza, que contém capsaicina 8%. Uma única aplicação de uma hora pode aliviar a dor debilitante que muitas vezes resulta de um caso de herpes zoster.

 Human beings are supposed to avoid chili peppers. The fruit contains a fiery irritant, called capsaicin. It’s so strong that one milligram of the flavorless white crystalline stuff placed in your palm burns like a lighted cigarette, and the pain lasts for hours.

Chili peppers evolved this defense mechanism because their seeds die in the guts of mammals. Capsaicin is the plant’s way of saying “back off.” (Chili pepper seeds can survive being eaten by birds, which don’t have receptors to feel capsaicin. In fact, chili plants “want” birds to eat them because birds are excellent chili propagation vectors.)

Unlike most mammals, human beings enjoy the burn of capsaicin in their food. And there’s another reason to like it besides its culinary thrill: in large doses, capsaicin causes long-term desensitization of neurons that send pain signals to the brain.
That point was made clear to me a few years ago when I paid a visit to Neurogesx in San Carlos, California. Annika Malmberg, the director of pharmacological research showed me a transdermal pain relief patch containing capsaicin. It was coated with a clear gummy gel. When I reached out for it, she said, “Oh no! Don’t touch,” pulling it away and sticking it on the back of her own hand.
“But you’re touching it,” I said. “Ahh,” she said, dismissively waving her other hand. “I’m completely desensitized.” If I had put the patch on, however, my hand would start to hurt like hell, at least until my nerve cells shriveled up.
Neurogesx was founded by Dr. Wendye Robbins, based on her success in 1997 using capsaicin to treat patients with debilitating nerve pain when she was an assistant clinical professor of anesthesiology at the Mount Zion Pain Center in San Francisco. There, Robbins used a cream containing nearly 10% capsaicin (about 100 times the amount found in over-the-counter arthritic rubs) on HIV patients who had severe chronic foot pain and had been unable to find relief using any other drug, including morphine. Sixty percent of Robbin’s capsaicin patients reported that their pain had been reduced by at least 50 percent, and all the patients reported at least some pain relief. Now with $30 million in venture capital, Neurogesx has a transdermal patch on the market called Qutenza, which contains 8% capsaicin. A single, one-hour application can alleviate the debilitating pain that often follows a case of shingles.
Neurogesx is currently running clinical trials to study other uses for capsaicin. Who would have thought that this natural compound, evolved to keep people away from it, would be so alluring? 

 

Dr.Fish – manicures ecológicos

enviado por e-mail pelo amigo M.A.M

MANICURE ECOLÓGICA

Substituindo o alicate por.. PEIXES (?!)
Os asiáti­cos ado­ram inven­tar coisas novas, e a última moda que está surgindo por lá são os peixes pedi­cures!!

Como assim?! Pois é, esses pequeni­nos da raça Garra Rufa, mais con­heci­dos como Dr. Fish,

são famosos por se ali­menta­rem de teci­dos orgâni­cos mor­tos (urgh!!), e deram uma util­i­dade estética à este fato!!Os peix­in­hos comem toda a pele morta dos pés, elim­i­nando as calosi­dades e a cutícula, sem arran­car “bifes”, pois o tecido vivo fica intacto!!!
Pela expressão das moçoilas na foto abaixo, podemos con­cluir que: ou o trabalho/refeiçã o desses peix­in­hos faz cóce­gas ou causa muita aflição!!
Lá do outro lado do mundo, países como Japão, China, Turquia e Coréia do Sul estão adotando esse método para fins terapêuticos! !Os spas têm pisci­nas ter­mais povoadas de Garra Rufa, pois além deles se ali­menta­rem de teci­dos orgâni­cos mor­tos, tam­bém sobre­vivem às altas temperaturas! !

Por­tanto, digam adeus aos esfo­liantes, man­i­cures e mas­sag­is­tas, porque esses peix­in­hos vão fazer todo o tra­balho sem cobrar nada!! Vão é ficar “gordinhos” de tanto comer!!E aí, teria cor­agem de ali­men­tar esses peix­in­hos com você mesma??

Você está muito "ácido"? How is your PH level?


O excesso de acidificação do corpo é causa principal de todas as doenças.

Em contraste com o estudo antigo de biologia, com base no trabalho de Louis Pasteur na última década de 1800, decorre a idéia de que a doença vem de germes que invadem o corpo,porém agora cientistas descobrem que quando o corpo está em equilíbrio alcalino saudável, germes são incapazes de desenvolver-se.

Imagine seu corpo como um aguário.
Pense na importância de manter a integridade dos fluidos internos do corpo onde “nadamos” todos os dias.
Imagine que o peixe no aquáriosão suas células e que os órgãos estejam banhados em fluidos, que transportam alimentos e eliminam resíduos. Agora imagine que de um carro coloquemos o tubo de escape contra o filtro de ar que fornece o oxigênio para a água no tanque. A água torna-se cheio de monóxido de carbono, redução do pH alcalino, criação e ambiente de pH ácido, e ameaçando a saúde dos peixes suas células e órgãos.

E se a gente jogar muita comida ou o tipo errado de alimentos (alimentos ácidos- como leite, açúcar e proteína animal) e os peixes não são capazes de consumir e digerir tudo, e ele começa a se decompor e apodrecer? Resíduos de ácido, produtos químicos tóxicos pela fermentação dos alimentos no aquário (corpo), criando mais derivados de ácido e alterando o pH alcalino ideal.

Basicamente, este é um pequeno exemplo do que podemos fazer para nossos fluídos internos a cada dia. Estamos a bombardeá-los com a poluição, fumo, drogas, consumo excessivo de alimentos,consumo excessivo de ácido nas fórmulas de alimentos, e muitas outras transgressões que comprometem o delicado equilíbrio de nossos fluidos internos alcalinos.
Alguns de nós têm tanques de peixes (corpos) que são pouco capazes de suportar a vida,e ainda controlar a luta do dia a dia,desequilíbrios até que haja a queda inevitável e crônica da saúde em condição debilitante, perturbadora e desorganizada sem saber como lidar com os sintomas.

O nível de pH (ácido-alcalino de medição) de nossos fluidos internos afeta todas as células do nosso corpo. Prolongado desequilíbrios ácido de qualquer tipo não são bem tolerados pelo organismo. Na verdade, todo o processo metabólico depende de um ambiente alcalino equilibrada interno. Um crônico excesso de ácido nos tecidos do corpo (pH ácido) corrói,lentamente o organismo, “comendo” milhares de quilômetros de veias e artérias É como ácido corrói mármore. Se não for controlada, ele irá interromper todas as atividades celulares e funções, desde a batida do seu coração até o funcionamento neural do cérebro. Em resumo, o excesso de acidificação interfere com a própria vida, levando a todas as doenças e enfermidades!

A gordura é um problema de excesso de ácido!

Talvez uma das descobertas mais interessantes é a teoria da causa do excesso de peso. A gordura é realmente mais um problema da acidificação. O que significa isso? O organismo cria células de gordura para transportar os ácidos longe de seus órgãos vitais, de modo que estes ácidos literalmente não sufoquem seus órgãos para a morte. A gordura na verdade salva a sua vida! A gordura é realmente uma resposta do organismo a uma situação alarmante sobre o excesso de ácidos.

No outro extremo do espectro da saúde, a levedura e fungos produzidos dentro um corpo excessivamente ácido pode se alimentar de seus nutrientes e reduzir a absorção química e mecânica de tudo o que você come em até 50%. Isso faz com que muitas pessoas se tornar excessivamente magras, o que não é mais saudável do que se tornar obeso. Sem proteínas, seu corpo não pode reconstruir tecidos novos ou produzir enzimas, hormônios, ou centenas de outros componentes químicos necessários para a energia celular e das atividades dos órgãos. Fadiga, a doença e as mudanças de peso corporal são os resultados. Uma pessoa com baixo peso podem perder um pouco mais de peso quando a química de seu corpo se estabiliza. Quando seu corpo se normaliza, ele começa a voltar ao seu peso ideal. Corpos saudáveis não estão com sobrepeso ou abaixo do peso. Um corpo saudável, naturalmente, mantém o seu peso próprio ideal .A alcalinização e oxigenação ( através de esportes) começam a ter lugar, naturalmente, e o corpo começa a buscar seu próprio peso ideal.

Fadiga

A fadiga é provavelmente o principal sintoma ou queixa de um corpo excessivamente ácido. As toxinas produzidas em um ambiente ácido do corpo reduzem a absorção de proteínas e minerais, o que enfraquece a capacidade do organismo de produzir enzimas e hormônios. Isso também interfere na reconstrução das células e outros componentes necessários de produção de energia. O resultado é a fadiga, baixa resistência, uma incapacidade para adicionar o tônus muscular e fraqueza geral.

Água alcalina
A coisa mais importante que você deve aprender é hidratar o corpo com água qu seja alcalinizante. Como a terra em que vivemos, nossos corpos são 70% de água. Desejos alimentares são muitas vezes o grito do corpo para a água. A sede por água começa quando se começa a hidratar o corpo justamente com água.

Uma dieta rica em alimentos ácidos, como carne, grãos lácteos, frutas doces e pão, faz com que os resíduos de ácido acumulem-se no organismo. Quando os resíduos de ácido entrar na nossa corrente sanguínea, o sistema sanguíneo tentará se desfazer desses resíduos em forma líquida, através dos pulmões ou os rins. Se houver muitos resíduos para manipular, são depositados em vários sistemas do órgão como o coração, pâncreas, fígado, cólon e outros locais.

A ruptura deste processo de eliminação de resíduos de ácido também poderia ser chamado de “o processo de envelhecimento”. Para retardar e reverter esse processo, é preciso começar por retirar este excesso de acidificação do sangue e tecidos, incluindo água abundante na dieta. A água deve ter um pH entre 9 e 11, e assim irá neutralizar os resíduos e ácidos armazenados e sutilmente removê-los dos tecidos.

The over-acidification of the body is the single underlying cause of all disease.

In contrast, the old biology, based on the work of Louis Pasteur in the late 1800s, stems from the idea that disease comes from germs which invade the body from the outsidem,cientists has found that when the body is in healthy alkaline balance, germs are unable to get a foothold.

Think of your body as a fish tank.
Think of the importance of maintaining the integrity of the internal fluids of the body that we “swim” in daily.

Imagine the fish in this tank are your cells and organ systems bathed in fluids, which transport food and remove wastes. Now imagine we back up a car and put the tailpipe up against the air intake filter that supplies the oxygen for the water in the tank. The water becomes filled with carbon monoxide, lowering the alkaline pH, creating and acidic pH environment, and threatening the health of the “fish,” your cells and organs.

What if we throw in too much food or the wrong kind of food (acid-producing food like dairy, sugar, and animal protein) and the fish are unable to consume or digest it all, and it starts to decompose and putrefy? Toxic acid waste and chemicals build up as the food breaks down, creating more acidic byproducts, altering the optimum alkaline pH.

Basically, this is a small example of what we may be doing to our internal fluids every day. We are fouling them with pollution, smoking, drugs, excessive intake of food, over-consumption of acid-forming foods, and any number of transgressions which compromise the delicate balance of our internal alkaline fluids.

Some of us have fish tanks (bodies) that are barely able to support life, yet we somehow manage to struggle from day to day, building more sever imbalances until there is the inevitable crash and debilitating chronic, disturbing and disorganizing symptoms to deal with.

The pH level (the acid-alkaline measurement) of our internal fluids affects every cell in our bodies. Extended acid imbalances of any kind are not well tolerated by the body. Indeed, the entire metabolic process depends on a balanced internal alkaline environment. A chronically over-acidic pH corrodes body tissue, slowly eating into the 60,000 miles of veins and arteries like acid eating into marble. If left unchecked, it will interrupt all cellular activities and functions, from the beating of your heart to the neural firing of your brain. In summary, over-acidification interferes with life itself leading to all sickness and disease!
Fat is an Acid Problem!

Perhaps one of Dr. Young’s most well known discoveries is his theory of the cause of overweight. He has shown that fat is actually an over-acidification problem. What does that mean? The body creates fat cells to carry acids away from your vital organs, so these acids literally don’t choke your organs to death. Fat is saving your life! Fat is actually a response from the body to an alarming over-acidic condition.

At the other end of the health spectrum, the yeast and fungus produced within an overly acidic body can feed on your nutrients and reduce the chemical and mechanical absorption of everything you eat by as much as 50%. This causes many people to become excessively thin, which is no healthier than becoming overweight. Without protein, your body cannot rebuild new tissues or produce enzymes, hormones, or hundreds of other chemical components necessary for cell energy and organ activity. Fatigue, illness, and body weight changes are the results. An underweight person may loose a little more weight as their body chemistry stabilizes. As their body normalizes, they will begin to gain towards their ideal weight. Healthy bodies are not overweight or underweight. A healthy body naturally maintains its own ideal weight.As alkalizing and oxygenation( sports) begins to take place, the body naturally begins to seek its own ideal weight.

Fatigue

Fatigue is probably the major symptom or complaint of an overly acidic body. The toxins produced in an acidic body environment reduce the absorption of protein and minerals, which in turn weakens the body’s ability to produce enzymes and hormones. This also interferes with the reconstruction of cells and other necessary components of energy production. The result is fatigue, poor endurance, an inability to add muscle tone, and general weakness.

Alkaline Water
The most important thing you must learn is to hydrate the body with alkalizing water. Like the earth on which we live, our bodies are 70% water. Food cravings are often the body’s cry for water. A thirst for water will begin as one begins to hydrate with water.

A diet high in acid foods such as meat, dairy grains, high sugar fruits and bread, causes acid wastes to build up in the body. When acid wastes enter our blood stream, the blood system will attempt to dispose of these wastes in liquid form through the lungs or the kidneys. If there are too many wastes to handle, they are deposited in various organ systems like the heart, pancreas, liver, colon, and other locations.

The breakdown of this disposal process of acid waste could also be called “the aging process”. To slow down and reverse this process, one must begin by removing this over-acidification of the blood and tissues by including liberal amounts of water in the diet. Water has a pH between 9 and 11, and will neutralize harmful stored acid wastes and gently remove them from the tissues.

Àgua em garrafas de plástico -infeliz ideia !

enviado por e-mail pelos amigos Silvio L. e Márcia L.S.

Água engarrafada…garrafas plásticas (pet)

Precisamos mesmo delas?

Uma garrafa pet para água custa mais de $ 1,50

(nos EUA) por garrafa.

Isto significa 1.900 vezes o preço da água da torneira!
Se você bebe apenas água mineral engarrafada, você esta ciente

de todos os fatos a respeito?

você gasta dinheiro,

você polui o meio ambiente,

você arrisca poluir os aquiferos e nascentes…

tudo isso pela sua “garrafinha de água”!!

Pesquisas mostram que 35% dos usuários pensam que água enga-

rrafada é mais saudável que a água da torneira!

Saiba que a cada segundo 1.500 garrafas pet são jogadas no lixo!

Isso significa 26.000.000.000 de litros/ano.

86% disto vai para o lixo…


Isto significa 17.000.000 de barris de petróleo …

E esta produção de “pets” lançou mais 2.500.000 toneladas de dioxido de

carbono na atmosfera…

O que significa más notícias para você (e para todos nós)

A média de gastos por cidadão (EUA) é de $ 400,00 /ano

Sua saúde esta sendo atingida através de substâncias tóxicas

liberadas dentro das referidas embalagens (através do calor e

outras causas- na produção,embalagem,armazenamento e dispo-

sição das garrafas.

Pesquisas mostram que parte destes gastos poderiam resolver o problema da falta de água em todo o planeta (todos poderiam ter água pura e instalações adequadas).Maneiras como são liberadas as substâncias tóxicas no interior das “pets” O calor no interior dos carros libera produtos químicos que causam vários tipos de Câncer nos

seres humanos.Pesquisas e fontes de informação obtidas nos sites acima…Use menos garrafas Pet, reduza seu consumo- prefira os filtros , garrafas aluminizadas e outras

formas retornáveis.Ajude o planeta – uma pequena ação hoje reflete o amanhã de todos nós.

Minha parte estou fazendo – já utilizo esta garrafa que leva a minha água filtrada extraída

da torneira…muito mais barata, sem produtos tóxicos do plástico e ainda conserva a tempe-
ratura por mais tempo…

O grão que salva/muda sua vida…the seed that can change your life…

sorry…I tried to translate it ,but Blogger “said” I exceed something…Well in the end is written
how to use it in english…


















how to use it:
To use: Two tablespoons per day mixed in a blender, blend in a glass of fruit juice, on the fruit with the oats, yogurt, coffee in the morning, lunch… They can take people of all ages ( the child, adolescent and elder sister sites). Even pregnant women .

Pesquisa e créditos para :