A incrível história de Raymundo ! The Conditioned

Uma história incrível. Click to see in Vimeo.
Raimundo Arruda Sobrinho era mais um mendigo na cidade de São Paulo. Ele era conhecido localmente por sentar e escrever todos os dias no mesmo lugar. Foi assim por 35 anos… até que em abril de 2011 uma mulher chamada Shalla Monteiro ficou amiga de Raimundo.
Impressionada com o trabalho poético de Raimundo e querendo ajudar em seu sonho de publicar um livro, Shalla criou uma página no Facebook para mostrar o que o morador de rua vinha escrevendo por tantos anos.
Nenhum dos dois poderia esperar o que aconteceu em seguida.
O próprio Facebook fez questão de participar da história e produziu o vídeo de 4m30s que você vê acima. Clique no link, assista até o final e se surpreenda com o desfecho dessa história.

Quantos seres humanos já viveram na Terra?




Através da história humana 107,7 bilhões de pessoas nasceram no planeta. Hoje, 7 bilhões, ou
6,5 % do total estão vivendo. O esquema abaixo mostra o total de nascimentos em toda a história
humana, assim como o número de pessoas ainda por aqui.
Obs: cada bloco representa um bilhão de seres humanos.

O Judô e seu mestre :como começou.


Por volta de 1870, um garoto magro,baixo e leve  começou a tomar aulas de ju-jitsu, em Tóquio. As artes marciais nunca mais seriam as mesmas. 


Em 1878, Jigoro Kano, o filho de 17 anos de idade de um fabricante de saquê, mudou-se da ilha de Honshu para  Tóquio para frequentar a Universidade Imperial de Tóquio. Pouco depois de chegar, ele começou a ter aulas na arte marcial japonesa ju-jitsu . Kano era pequeno, de baixa estatura e pesava muito pouco, mas  incrivelmente focado, e em poucos anos tornou-se um mestre na Tenjin-Shinyo Ryu , ou “Willow Divina Verdade,” escola de ju-jitsu .
Então, ele começou a estudar técnicas de wrestling-incluindo outros estilos ocidentais e começou a desenvolver seus próprios movimentos, principalmente quedas. Em 1882 Kano abriu sua própria escola, começando com apenas 12 alunos.
Na época, ele  ainda estava ensinando uma forma de ju-jitsu, mas em 1884, com a idade de apenas 24 anos, ele fundou uma nova escola de artes marciais,judô , que significa “o caminho suave”.
JU-JISTORY
Ju-jitsu foi a arte marcial dominante no Japão durante séculos. O nome, que significa “a arte da suavidade”, foi usado pela primeira vez em 1500, e se refere a uma grande variedade de técnicas de combate que tinham sido desenvolvidos pela classe guerreira do Japão, os samurais, desde pelo menos o século 12.


Durante seus anos de formação o jujitsu envolveu o uso de armas, tais como espadas e lanças, e foi usado em campos de batalha pelos samurais,sempre fortemente blindados. Em 1600, tudo mudou quando  Tokugawa conquistou o país inteiro.  Os 250 anos seguintes foram relativamente pacíficos, e o ju-jitsu evoluiu naturalmente, refletindo esta paz. Em vez de lutar com armas na armadura, os combatentes estudaram e desenvolveram técnicas de luta desarmados em escolas. Isto é conhecido como a “Idade de Ouro” de ju-jitsu, quando, literalmente, milhares de escolas e estilos diferentes floresceram.
Então, em meados dos anos 1800, tudo mudou de novo: Os Tokugawa perderam o poder e o país emergiu da sua estrutura primitiva, feudal, terminou a sua política de isolamento completo, e abraçou o Ocidente e o mundo moderno e industrializado. Como resultado, antigas tradições japonesas tornaram-se muito impopulares e  isto incluiu o  ju-jitsu. A arte marcial  estava em perigo de desaparecer completamente … mas então Kano apareceu.

Kyuzo Mifune e Jigoro Kano

Jujitsu pode significar “a arte da suavidade”, mas isso é enganador: Inclui o uso de pé e batidas da mão, e pode ser brutal. 
Para tornar a arte mais atraente para as pessoas que não querem os ossos quebrados em uma base regular-Kano fez algumas modificações, fazendo judô verdadeiramente mais “suave”, contando  com lançamentos, imobilizações, e sufocamento com técnicas de submissão.
Mas o aspecto mais importante do judô, de acordo com Kano, foi kuzushi , ou “off-equilíbrio”, que se refere aos movimentos projetados para colocar o adversário fora de equilíbrio, tornando mais fácil para levá-los para o chão. Não era nada de novo, mas nunca tinha sido este um tema central em uma arte marcial antes-e foi muito eficaz. Dentro de meses, Kano começou a bater um dos seus ex-professores jujitsu, algo que nunca tinha feito antes. 
Dois anos mais tarde, por causa do crescente sucesso de Kano, a Polícia Metropolitana de Tóquio organizou um concurso entre os estudantes de Kano de judô e alunos da escola mais popular ju-jitsu na cidade. Oficiais da polícia de Tóquio que normalmente praticavam jujitsu, prometeram que se a escola de Kano fosse a vencedora eles mudariam para o judô. Kano enviou seus 15 melhores alunos.  De  15 lutas venceu 12.
O Judô logo se tornou popular em todo o Japão, e Kano certamente não poderia ter sabido disso na época, mas que eventualmente teria uma enorme influência sobre as artes marciais em todo o mundo.


Uma das maiores influências de Kano sobre outras artes marciais foi o sistema de classificação do aluno que ele escolheu. Kano adotou um sistema simples que praticamente todos os japoneses já estavam familiarizados : Foi a partir de uma jogo de tabuleiro chinês antigo o  Go . O jogo tinha sido muito popular no Japão desde 1600, e desde então tinha usado um sistema de avaliação do jogador que tornou a competição mais justa. Ela consistia separar estudantes em dois grupos: o kyu , ou não-classificado, alunos iniciantes, e o dan , os alunos classificados. Dentro de cada um eram vários níveis (ou graus): seis nas fileiras kyu e 10 no dan . Em 1884 Kano trouxe isso para o judô. Depois vieram as faixas.


Em 1885, dois estudantes de Kano tornaram-se os primeiros a chegar ao primeiro nível dan . No momento todos os estudantes de artes marciais japonesas usavam quimonos simples, com uma faixa branca na cintura. Para dar seus dois dan  aos estudantes um sinal visual de seu conhecimento, Kano  trocou as faixas destes (passaram a usar faixas pretas) e inventou então o sistema de classificação de cor das faixas  que é provavelmente o aspecto mais reconhecido de qualquer arte marcial no mundo de hoje.
 Em 1895  todas as academias do Japão  estavam usando sistema de classificação de Kano,.
 E quando novas escolas de artes marciais mais tarde apareceram, como karatê moderno e aikido, 
eles fizeram uso do sitema de faixas  também.
Kano era um professor especial, empresário e diplomata, e ao longo das décadas seguintes, ele e seus alunos viajaram pelo mundo promovendo a arte marcial que ele fundou, muitas vezes, a convite de líderes mundiais. Por volta de 1920, havia escolas de judô, ou dojos , na maioria dos países europeus, e vários  nos EUA
Jigoro Kado morreu em 1938, aos 77 anos de idade, antes de seu sonho de ver a competição de judô nos Jogos Olímpicos. Finalmente  em 1964, quando Tóquio foi a primeira cidade asiática a sediar os jogos de verão o Judo chegou lá. O país anfitrião poderia escolher ou adicionar um esporte de sua escolha e Japão escolheu 
o judô de Kano.Foi a primeira arte asiática marcial a se tornar um esporte olímpico, e o  judô ainda é uma das artes marciais mais populares no mundo de hoje.
Extra: em 1935, um dos alunos de Kano, Mikonosuke Kawaishi, abriu um dojo em Paris. Para dar mais incentivo ocidentais a permanecer na escola, ele tentou uma inovação: ele começou a concessão de cor diferente cintos-branco, amarelo, laranja, verde, azul e marrom para os seis níveis de iniciantes kyu estudantes, que normalmente usa só branco . Foi um sucesso e rapidamente se espalhou para outras escolas europeias, e ao longo dos anos a muitas outras artes marciais, e, finalmente, em todo o mundo.

Kawaishi















Crazy Horse – homenagem incrível !

O escultor K. Zyulkovski solicitou aos lideres da tribo SIOUX e iniciou em 1948 um projeto onde buscava homenagear o líder da tribo indígena Sioux – Crazy Horse – Cavalo Doido – infelizmente veio a falecer antes que pudesse levar a ideia até o fim. Deixou no entanto os esboços detalhados e a escultura (rosto) foi terminada em 1998.Ainda falta o memorial que muito lentamente vem sendo construído com os recursos dos visitantes (1 milhão por ano !)
A figura completa será de 172 metros de altura e 192 metros de largura! Superior inclusive ao tamanho do memorial dos presidentes norteamericanos no Monte Rushmore. Crazy Horse se recusou a assinar qualquer acordo com o governo dos EUA e também não quis jamais ir a Washington para reunião com o presidente dos EUA na época. O memorial deve demonstrar que os índios daquela região foram e são grandes heróis.

O verdadeiro inventor do Fusca -fotos e história

O escritor Paul Schilperoord,lançou seu livro “A Vida Extraordinária de Josef Ganz – O Engenheiro judeu por trás da Volkswagen de Hitler.”



Prospecto de 1923- do pequeno carro de Ganz

 “A extraordinária vida de Josef Ganz”, conta a surpreendente história de Josef Ganz, um engenheiro judeu de Frankfurt, que maio 1931 criou um carro revolucionário de pequeno porte: o Maikäfer (alemão para Bug de maio). Sete anos depois, Hitler introduziu a Volkswagen. Os nazistas não apenas roubaram o seu conceito mas também o nome do carro Nesta biografia,Schilperoord conta como Ganz foi preso pela Gestapo, em seguida, fugiu da Alemanha, e foi caçado pelos nazistas para além das fronteiras da Alemanha, escapando por pouco de assassinato. Vamos destacar alguns exemplos do livro.



Capa e contra-capa do livro lançado nos EUA e Canadá

 A maioria das centenas de fotos impressionantes do livro nunca foram publicadas antes e vêm de arquivo de fotos originais de Ganz, que Schilperoord descobriu a partir de fontes no Canadá e na Austrália. Josef Ganz nasceu em Budapeste, no verão de 1898 e cresceu em Viena . Criança ainda Josef Ganz já exibia suas habilidades de engenharia. Com a idade de 12 anos, ele recebeu sua primeira patente para um dispositivo de segurança para bondes elétricos. Depois de servir na Primeira Guerra Mundial Ganz mudou para a Alemanha, onde estudou Engenharia Mecânica. Em 1923, como estudante, Ganz iniciou o desenvolvimento de um carro inovador com um motor central, roda e suspensão independente, e um corpo aerodinâmico. Depois de um terrível acidente de moto, na qual Ganz quase perdeu sua perna direita, a evolução desse Ganz-Klein-Wagen chegou a sofrer uma suspensão temporária. Josef Ganz foi um crítico pesado dos carros antigos produzidos nos anos de 1920, que ele considerava serem horríveis com seus eixos sólidos, centros de gravidade altos, e outros itens ineficientes. Como jornalista freelancer, começou a contribuir com artigos para revistas de automobilismo em que incitou a indústria automotiva a empregar mais tecnologia e design. Isso resultou na nomeação de Ganz como editor-chefe da revista de automobilismo Klein-Motor- Desporto . Ganz usava esta publicação como uma plataforma para promover o design inovador do carro e a Volkswagen, em particular. Por causa de sua escrita crítica Ganz não tinha a simpatia dos construtores de carros conservadores, mas a revista se tornou altamente influente. Em 1929, Ganz mudou o nome para o mais apropriado Motor-Kritik . Em 1930, a empresa de motocicletas Ardie de Nuremberg deu o Ganz oportunidade de construir um primeiro protótipo do seu Volkswagen. O protótipo apresentado um chassi backbone central com suspensão do motor,com eixos oscilantes,e carroçaria em forma de besouro.



capa de revista de 1928



Josef Ganz testando um protótipo de 1930 -o
Ardie Ganz Volkswagen





O Bug de Maio ou May-Bug de 1931



O Beetle da Mercedes Benz -protótipo de 1931
com motor traseiro.



Josef Ganz em um dos protótiposVolkswagen Suíços
em 1937




Modelo apresentado em 1933 na
Berlim Motor Show

  Os planos de produção, no entanto, foram interrompidas quando um consórcio de grandes fabricantes de automóveis alemães bloquearam uma proposta de lei referente a condução de um carro tão pequeno. A construção notável atraiu a atenção de Adler fabricante de automóveis de Frankfurt, que empregava Ganz como engenheiro consultor e lhe ofereceu suas instalações para a construção de um protótipo novo e melhorado. Ganz concluiu este carro em maio 1931 e apelidou sua criação de “o novo Maikäfer” (Bug de Maio). Para satisfazer o público , Ganz deu ao carro um olhar mais convencional, o corpo rebaixado com um radiador falso na frente. Novamente forças industriais bloquearam o desenvolvimento do “Bug de maio” em Adler, mas foi permitido a Ganz manter o protótipo. Ele usou o “Bug de maio” como um modelo de tecnologia e conquistou inúmeros engenheiros e jornalistas com os test-drive, provando o valor de seu conceito Volkswagen. Isto incluiu pessoas como Ferdinand Porsche, que testou o bug antes de projetar um veículo similar para a empresa de motocicletas Zündapp. No verão de 1931, o Bug de Maio foi transportado por caminhão para Stuttgart, onde foi severamente testada pelo conselho de administração e Os engenheiros da Mercedes-Benz. Isto resultou no desenvolvimento de um carro “Beetle-like” com um motor boxer montado na parte traseira,de 4-cilindros, concebido com a assistência de Josef Ganz. Ele havia até então sido empregado como engenheiro consultor por ambos Mercedes-Benz e BMW. Os fabricantes que antes haviam combatido Ganz e seu “motor-Kritik” tentando silenciar sua voz crítica passaram a adotar suas idéias revolucionárias.
Usando muitas patentes de Ganz, em fevereiro de 1933no Motor Berlim foram apresentados uma versão com carroceria fechada em forma de besouro. Hitler tinha sido nomeado Chanceler da Alemanha menos de duas semanas antes e ao visitar a feira elogiou o trabalho dos engenheiros alemães e manifestou interesse sério na idéia de um Volkswagen para motorizar o povo alemão. A Gestapo falsamente acusou Ganz de chantagear a indústria do
automóvel
e o prendeu em Berlim, em maio de 1933. Ganz ficou preso por um mês e só foi liberado graças a amigos muito influentes. Apesar de ter sido libertado da prisão, a Gestapo perseguia
Ganz  como editor-chefe da Motor-Kritik , e como consultor e engenheiro da BMW e Mercedes-Benz.   . Os nazistas queriam ter certeza que as ligações dos judeus com a Volkswagen fossem
apagados da história. Eles proibiram Ganz de publicar qualquer reportagem ou então que
a imprensa alemã de publicasse
alguma coisa sobre ele. Nesta época Ganz foi para a Suiça em férias e isso salvou a sua vida devido à
perseguição e assassinatos efetuados pela Gestapo. Ele foi posteriormente advertido por um amigo para não voltar para a Alemanha.
Ele só fez uma viagem secreta  para salvar seus arquivos indo até
Frankfurt. Depois de percorrer
 toda a Europa por quase um ano, Josef Ganz estabeleceu-se em Zurique, na Suíça. Lá, ele expôs
 o protótipo de seu  invento  para oficiais do governo suíço e conseguiu um contrato para desenvolver um “Volkswagen feito na
Suíça ” com o financiamento do Estado – exatamente como Porsche estava fazendo na Alemanha. Os primeiros protótipos do Volkswagen feito na
Suíça foram concluídas em 1937 e se assemelhava aos esboços originais de
Ganz de 1923. Os planos de produção abrangiam
a Suíça, França e Polônia porém neste país houve uma
 parada abrupta depois que o exército alemão invadiu  o país em 1939. A Europa estava em guerra. Josef Ganz sobreviveu à guerra na Suíça,
 mas enfrentou muitos problemas com a empresa suíça que tentou obter os
 créditos  do seu design . Estes e outros eventos resultaram em processos judiciais longos após a guerra. O
Volkswagen Suíço
 foi produzido apenas em pequenas quantidades,  variação do francês chamado Julien MM5. Deixando todos os seus problemas na Europa para trás, Josef Ganz emigrou para a Austrália em 1951.
 Ele encontrou emprego como engenheiro na General Motors – Holden até
 que devido à problemas de saúde  forçaram-no
a se aposentar. Ele sofreu vários ataques cardíacos e praticamente tornou-se um inválido, passando seus dias em casa trabalhando em suas memórias. Josef Ganz morreu na obscuridade em 26 de julho de 1967

O monje e o macaco -the monk and the monkey

http://vimeo.com/moogaloop.swf?clip_id=14441514&server=vimeo.com&show_title=0&show_byline=0&show_portrait=0&color=ff0179&fullscreen=1&autoplay=0&loop=0
Um garoto determinado,Ragu, é mandado pelo seu mestre para sua prova final
A determined young boy, Ragu, is sent by his master on his final quest to
para se tornar um monje.Uma aparente simples tarefa acaba se transformando
become a monk. A seemingly simple task becomes an unexpected challenge
num inesperado desafio para Ragu quando ele descobre o valor real da sua
prova.
for Ragu as he discovers the real value of his quest.

© 2010 Brendan Carroll & Francesco Giroldini. Music by Erez Koskas.
Ringling College of Art + Design.

Candelária -imigração e famílias oriundas da Alemanha



Obras da pesquisadora e escritora Marli Hintz cujos livros possuem registros vários sobre os imigrantes que vieram da Alemanha e fixaram residência na cidade de Candelária no Rio Grande do Sul – Brasil .

e-mail para contato e aquisição dos livros: marli_hintz@hotmail.com

veja fotos antigas da família Hintz:
http://ummaisoumenos.blogspot.com/2008/10/fotos-de-antigamente-comércio-da-famlia.html