Mais emprego no Brasil, se a lista de exageros sumir…

A Revista Época de 08 de agosto de 2011, mostra através do diagrama abaixo (representado pelas cores) o que se paga para cada um dos empregados com carteira registrada além do salário mensal.São contribui-
ções ao governo,benefícios adicionais aos empregados, benefícios indiretos e até contribuições sobre con-
tribuições.
É necessário uma nova forma de contribuir para a previdência e assegurar as conquistas trabalhistas.
Da maneira como esta o produto brasileiro acaba absorvendo estes acréscimos e não há como com-
petir com o produto estrangeiro,além de haver uma redução no número de contratações de pessoas
tanto nas grandes como nas pequenas empresas.



O s encargos somam 102%  da folha de pagamento como pode ser visto abaixo em detalhes.

Anúncios

Imposto agora ! de março até junho…quanto?

O total arrecadado hoje conforme o relógio (20:50)
hoje : 501 bilhões…

Em março os impostos arrecadados eram quase 240 bilhões…vide postagem
Em poucos meses mais do que dobrou …que fome hem???/

no link abaixo…o relógio em março…

O tamanho do "saco sem fundo"- Impostolândia !

enviado pelo amigo Silvio L.

text on the amount of taxes that citizens and businesses must

pay to be in order with the state …another “record” of Brasil…

#yiv862059654 v0003a* { }

Ultimamente queria matar a curiosidade de saber como esta o tamanho da carga tributária do Brasil. Podemos agora até emprestar dinheiro para a Grécia!!!!

Ontem tive oportunidade de rever todos os impostos,contribuições,taxas,receitas….

Saiu uma Portaria da Secretaria de Orçamento Federal que mexe nas classificações orçamentárias por natureza de receita. Ou seja: Traz nova identificação de onde vem o dinheiro arrecadado pelo governo em impostos, taxas, contribuições, etc.

Olhem só que monte de kákas:

Impostos

Impostos sobre o Comércio Exterior
-Imposto sobre a Importação
-Imposto sobre a Exportação
-Impostos sobre o Patrimônio e a Renda
-Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural
-Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – Municípios Conveniados
-Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – Municípios Não-Conveniados
-Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza Pessoas Físicas
-Pessoa Jurídica – Líquida de Incentivos
-Imposto de Renda Pessoa Jurídica – Simples Federal e Nacional
-Retido nas Fontes – Trabalho
-Retido nas Fontes – Capital
-Retido nas Fontes – Remessa ao Exterior
-Retido nas Fontes – Outros Rendimentos
-Impostos sobre a Produção e a Circulação
-Imposto sobre Produtos Industrializados Produtos do Fumo
-Bebidas
-Automóveis
-Vinculados à Importação
-Outros Produtos
-Imposto sobre Produtos Industrializados – Simples Federal e Nacional
-Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou Relativas a Títulos ou Valores Mobiliários
-Comercialização do Ouro
-Impostos Extraordinários

Ta x a s

-Taxas pelo Exercício do Poder de Polícia
-Taxa de Fiscalização dos Serviços de Irrigação e Operação da Adução de Água
-Taxas de Fiscalização das Telecomunicações
-Taxa de Fiscalização de Instalação
-Taxa de Fiscalização de Funcionamento
-Taxa de Controle e Fiscalização de Produtos Químicos
-Taxas do Departamento de Polícia Federal
-Taxas de Migração
-Taxa de Licenciamento, Controle e Fiscalização de Materiais Nucleares e Radioativos e suas Instalações
-Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar – TAFIC
-Taxa de Fiscalização dos Produtos Controlados pelo Ministério do Exército
-Taxa de Fiscalização dos Mercados de Títulos e Valores Mobiliários
-Taxa de Fiscalização dos Mercados de Seguro, de Capitalização e da Previdência Privada Aberta
-Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica
-Taxa de Fiscalização de Vigilância Sanitária
-Taxa de Saúde Suplementar
-Taxa por Plano de Assistência à Saúde
-Taxa por Registro de Produto
-Taxa por Alteração de Dados de Produto
-Taxa por Registro de Operadora
-Taxa por Alteração de Dados de Operadora
-Taxa por Pedido de Reajuste de Contraprestação Pecuniária
-Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental
-Taxa de Serviços Administrativos
-Taxa de Serviços Metrológicos
-Taxa de Fiscalização sobre a Distribuição Gratuita de Prêmios e Sorteios P 74
-Taxas pela Prestação de Serviços
-Emolumentos Consulares
-Taxa de Pedido de Visto em Contrato de Trabalho de Estrangeiro
-Taxa de Utilização do Sistema Eletrônico de Controle de Arrecadação do Adicional ao Frete para a Renovação da Marinha Mercante
-Taxa de Avaliação do Ensino Superior
-Taxa Judiciária da Justiça do Distrito Federal
-Emolumentos e Custas da Justiça do Distrito Federal
-Emolumentos e Custas Judiciais
-Taxa de Utilização do Sistema Integrado de Comércio Exterior – SISCOMEX
-Emolumentos e Custas Processuais Administrativas
-Emolumentos e Custas de Apreciação de Atos e Contratos
-Emolumentos e Custas Decorrentes de Consultas
-Taxa Militar
-Taxa de Classificação de Produtos Vegetais
-Taxa de Serviços Cadastrais
-Taxa de Serviços Aquícolas
-Outras Taxas pela Prestação de Serviços

Contribuição de Melhoria

-Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
-Receita de Parcelamentos – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
-Contribuição para o Salário-Educação
-Cota-Parte da Contribuição Sindical
-Contribuição para o Ensino Aeroviário
-Contribuição para o Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo P Contribuição para o Fundo de Saúde das Forças Armadas P 00
-Contribuição sobre a Arrecadação dos Fundos de Investimentos Regionais Contribuição sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira
-Contribuição para o Custeio das Pensões Militares
-Contribuição sobre a Receita de Sorteios Realizados por Entidades Filantrópicas
-Contribuições sobre a Receita de Concursos de Prognósticos
-Contribuição sobre a Receita da Loteria Federal
-Contribuição sobre a Receita de Loterias Esportivas
-Contribuição sobre a Receita de Concursos Especiais de Loterias Esportivas
-Contribuição sobre a Receita de Loterias de Números
-Contribuição sobre a Receita da Loteria Instantânea
-Contribuição sobre a Receita de Outros Concursos de Prognósticos P 00
-Contribuição Sobre a Receita de Concurso de Prognóstico Específico Destinado ao Desenvolvimento da Prática Desportiva – Modalidade Futebol
-Outros Prêmios Prescritos
-Contribuições para o Regime Próprio de Previdência do Servidor Público
-Contribuição Patronal de Servidor Ativo Civil para o Regime Próprio -contribuição do Servidor Ativo Civil para o Regime Próprio
-Contribuição do Servidor Inativo Civil para o Regime Próprio
-Contribuição de Pensionista Civil para o Regime Próprio
-Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial
-Contribuição Previdenciária em Regime de Parcelamento de Débitos – Contribuições Previdenciárias para o Regime Geral de Previdência Social
-Contribuição Previdenciária do Segurado Obrigatório – Contribuinte Individual
-Contribuição Previdenciária do Segurado Assalariado
-Contribuição Previdenciária da Empresa sobre Segurado Assalariado
-Contribuição Previdenciária da Empresa Optante pelo SIMPLES
-Contribuição Previdenciária sobre Espetáculo Desportivo
-Contribuição Previdenciária sobre a Produção Rural
-Contribuição Previdenciária em Regime de Parcelamento de Débitos – RGPS
-Contribuição Previdenciária para o Seguro de Acidente do Trabalho -Contribuição Previdenciária sobre Reclamatória Trabalhista
-Contribuição Previdenciária em Regime de Parcelamento de Débitos dos Municípios
-Contribuição Previdenciária do Segurado Obrigatório – Empresário
-Contribuição Previdenciária do Segurado Facultativo
-Contribuição Previdenciária do Segurado Especial
-Contribuição Previdenciária do Segurado Obrigatório – Empregado Doméstico
-Contribuição Previdenciária dos Órgãos do Poder Público P
-Contribuição Previdenciária das Entidades Filantrópicas P
-Contribuição Previdenciária – Retenção sobre Nota Fiscal – Sub-rogação
-Contribuição Previdenciária na Forma de Depósito Judicial, Recursal e Custas Judiciais
-Contribuição Previdenciária das Cooperativas de Trabalho Descontada do Cooperado
-Contribuições Previdenciárias
-Contribuições Rurais
-Contribuição Industrial Rural
-Adicional à Contribuição Previdenciária
-Contribuição e Adicional para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC
-Adicional à Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC
-Contribuição e Adicional para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial -SENAI
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI
-Adicional à Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI
-Contribuição e Adicional para o Serviço Social do Comércio – SESC
-Contribuição para o Serviço Social do Comércio – SESC
-Adicional à Contribuição para o Serviço Social do Comércio – SESC
-Contribuição e Adicional para o Serviço Social da Indústria – SESI
-Contribuição para o Serviço Social da Indústria – SESI
-Adicional à Contribuição ao Serviço Social da Indústria – SESI
-Contribuições para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público – PIS/PASEP
-Contribuição Social sobre o Lucro das Pessoas Jurídicas
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR
-Contribuição para o Serviço Social do Transporte – SEST
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte – SENAT
-Contribuição para o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – SESCOOP
-Contribuição sobre Jogos de Bingo
-Contribuição Relativa à Despedida de Empregado sem Justa Causa P 00
-Contribuição sobre a Remuneração Devida ao Trabalhador
-Outras Contribuições Sociais
-Contribuições Econômicas
-Contribuição para o Programa de Integração Nacional – PIN
-Contribuição para o Programa de Redistribuição de Terras e de Estímulo à Agroindústria do Norte e do Nordeste – PROTERRA
-Contribuições para o Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização
-Selo Especial de Controle
-Contribuição sobre Apostas em Competições Hípicas
-Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional
-Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional – Remessas
-Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional – Títulos P 00
-Adicional sobre as Tarifas de Passagens Aéreas Domésticas P 00
-Cota-Parte do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante P Contribuição sobre a Receita das -Concessionárias e Permissionárias de Energia Elétrica P 00
-Contribuição pela Licença de Uso, Aquisição ou Transferência de Tecnologia
-Contribuição sobre a Receita das Empresas Prestadoras de Serviços de Telecomunicações
-Contribuição sobre a Receita Operacional Bruta Decorrente de Prestação de Serviços de Telecomunicações
-Contribuição sobre a Receita Bruta das Empresas Prestadoras de Serviços de Telecomunicações
-Contribuição Relativa às Atividades de Comercialização de Petróleo e seus Derivados, Gás Natural e Álcool Carburante
-Contribuição Relativa às Atividades de Importação de Petróleo e seus Derivados, Gás Natural e Álcool Carburante
-Contribuição Relativa às Atividades de Comercialização de Petróleo e seus Derivados, Gás Natural e Álcool Carburante
-Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Principal
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Excedente
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Residual
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Parcelamento de Débitos
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Principal
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Excedente
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Residual
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Parcelamento de Débitos
-Outras Contribuições Econômicas
-Outras Contribuições Econômicas – Principal
-Aluguéis
-Arrendamentos
-Foros
-Laudêmios
-Taxa de Ocupação de Imóveis
-Taxa de Ocupação de Terrenos da União P 00
-Taxa de Ocupação de Imóveis Funcionais e Próprios Nacionais Residenciais P 00
-Taxa de Ocupação de Outros Imóveis

Receitas diversas

-Receita de Concessões e Permissões
-Receita de Concessões e Permissões – Serviços
-Receita de Concessões e Permissões – Serviços de Transporte
-Receita de Outorga dos Serviços de Transporte Ferroviário
-Receita de Outorga dos Serviços de Transportes Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros
-Receita de Outorga dos Serviços de Transporte Metroviário de Passageiros
-Receita de Outorga dos Serviços de Transporte Marítimo de Passageiros Outras Receitas de Concessões e Permissões – –Serviços de Transporte P Receita de Concessões e Permissões – Serviços de Comunicação
-Receita de Outorga dos Serviços de Telecomunicações
-Receita de Outorga dos Serviços de Radiodifusão Sonora e de Sons e Imagens
-Receita de Outorga do Direito de Uso de Radiofrequência
-Receita de Transferência de Concessão, de Permissão ou de Autorização de Telecomunicações ou de Uso de Radiofrequência
-Receita de Transferência de Concessão, de Permissão ou de Autorização de Rodovias
ou de Obras Rodoviárias Federais
-Receita de Outorga para a Utilização de Posições Orbitais
-Receita de Outorga de Licenças e Autorizações da Agência Espacial Brasileira
-Receitas de Concessões e Permissões – Serviços de Comunicação
-Receita de Outorga para Exploração dos Serviços de Energia Elétrica P Outras Receitas de Concessões e Permissões – Serviços
-Receita de Concessões e Permissões – Exploração de Recursos Naturais
-Receita de Outorga dos Serviços de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural
-Bônus de Assinatura de Contrato de Concessão
-Pagamento pela Retenção de Área para Exploração ou Produção
-Receita de Outorga de Direitos de Uso de Recursos Hídricos
-Receita de Outorga de Direitos de Exploração e Pesquisa Mineral
-Receita de Concessão Florestal
-Receita de Concessão de Florestas Nacionais – Valor Mínimo
-Receita de Concessão de Florestas Nacionais – Demais Valores
-Receita de Outras Concessões Florestais – Valor Mínimo
-Receita de Outras Concessões Florestais – Demais Valores
-Receita de Custos de Edital de Concessão Florestal
-Receita de Contratos de Transição de Concessão Florestal
-Outras Receitas de Concessões e Permissões – Recursos Naturais
-Receita de Concessões e Permissões – Direitos de Uso de Bens Públicos
-Receita de Concessão de Direito Real de Uso de Área Pública
-Receita de Outorga de Direito de Uso ou de Exploração de Criação Protegida – Instituição Científica e Tecnológica
-Receita de Concessão de Uso do Potencial de Energia Hidráulica
-Receita da Permissão de Uso de Área da União Curta Duração
-Receita da Cessão de Uso de Bens da União
-Outras Receitas de Concessões e Permissões
– Direitos de Uso de Bens Públicos P 50
-Outras Receitas de Concessões e Permissões
-Compensações Financeiras
-Utilização de Recursos Hídricos – Itaipu
-Utilização de Recursos Hídricos – Demais Empresas
-Exploração de Recursos Minerais
-Royalties pela Produção de Petróleo ou Gás Natural – em Terra
-Royalties pela Produção de Petróleo ou Gás Natural – em Plataforma P Royalties Excedentes pela Produção de Petróleo -ou Gás Natural – em Terra
-Royalties Excedentes pela Produção de Petróleo ou Gás Natural – em Plataforma
-Participação Especial pela Produção de Petróleo ou Gás Natural
-Outras Receitas Patrimoniais

Postado por Luiz Queiroz em Blog Capital Digital

com alterações no texto inicial.


Impostos – conheça o site : "impostometro" / about "tax" in our country and others…

clique na imagem para ver em tamanho maior
ou no link para ver como aumentaram os valores:

Absurdo os valores arrecadados a cada segundo( desde 01/01/2010 ).

No sábado, 13 de março de 2010 o total era quase 240 bilhões de reais.
Fica a pergunta: para onde vão todos estes recursos?
Verifique por local, data,hora,como é feito ,horário atual,etc…

Honda City brasileiro – QUE VERGONHA!

Enviado pelo amigo Luiz F. G.

Notícia completa no site abaixo:

http://carplace.virgula.uol.com.br/honda-city-brasileiro-e-lancado-no-mexico-com-preco-inicial-de-r-25-800-como-e-possivel/

Honda City brasileiro é lançado no México com preço inicial de R$ 25.800 – Como é possível?

A Honda lança no México o novo City. O sedan brasileiro, produzido na fábrica da Honda localizada em Sumaré – SP, chega ao mercado mexicano com apenas duas importantes diferenças: a primeira é a entrega mais equipamentos desde a versão de entrada e a segunda é o preço equivalente a menos da metade do cobrado no Brasil.

No México, todas as versões são equipadas com freios à disco nas quatro rodas com ABS e EBD, airbag duplo, ar condicionado além dos vidros, travas e retrovisores elétricos
. O motor é o mesmo que equipa a versão vendida no Brasil, ou seja, um 1.5 litro que entrega 116 cv de potência.
Por lá, a versão de entrada será oferecida por 197 mil pesos mexicanos, o que equivale a cerca de R$ 25.800. No Brasil, o City LX com câmbio manual (versão de entrada) que não conta com freios ABS, tem preço sugerido de R$ 56.210.

Mesmo lembrando que Brasil e México possuem um acordo comercial que isenta a cobrança de impostos de importação, fica a pergunta: Como é possível um carro fabricado no Brasil ser vendido,comlucro,por menos da metade do preço em outropaís?
Impostos, impostos,impostos…a situação não começou neste nem no governo anterior…já vem a muito tempo e a reforma tributária?…só quando tivermos um governo de coragem.

SUA CASA PELA TEORIA DA RELATIVIDADE

Enviado pelo amigo Luiz F.G.

Sua casa vista por você – your house seen by you

sua casa vista pelo comprador – your house seen by the buyer

sua casa vista pelo banco – your house seen by the bank

sua casa vista pelo avaliador – your house seen by the evaluator

sua casa vista pelo governo – your home seen by the government

O novo supercomputador da Receita Federal – o HAL

MONITORAMENTO DE CONTAS BANCÁRIAS PELO BANCO CENTRAL
É importante que você tenha conhecimento que suas contas bancárias estão sendo
monitoradas pelo Governo.
Apelidado de Hal, o cérebro eletrônico mais poderoso de Brasília fiscalizará as
contas bancárias de todos os brasileiros.

E os “homens públicos suspeitos” – com todas as evidências de falcatruas e roubos…quem fiscalizará?quem punirá?Tudo vai terminar numa gigantesca pizza! Que o governo utilize esta ferramenta que gasta muito menos que qualquer CPI e que
já funciona conforme abaixo relatado…

Dia 07 de setembro as 17 horas faça barulho – Proteste!

Chega de ser roubado,enganado e exposto ao ridículo!!! vamos reagir à expoloração??

O que é isto povo brasileiro?

O que somos ? um monte de cagões?
Desde a manhã da segunda-feira do dia 07/05/2009, trabalha sem cessar no quinto
subsolo do Banco Central um supercomputador instalado especialmente para reunir,
atualizar e fiscalizar todas as contas bancárias das 182 instituições financeiras
instaladas no País.
Seu nome oficial é Cadastro de Clientes do Sistema Financeiro Nacional – CCS na
sigla abreviada, já apelidado de HAL.
A primeira carga de informações que o computador recebeu durou quatro dias.
Ao final do processo, ele havia criado nada menos que 150 milhões de diferentes
pastas – uma para cada correntista do País, interligadas por CPF’s e CNPJ’s aos
nomes dos titulares e de seus procuradores
.
A cada dia, Hal acrescentará a seus arquivos cerca de um milhão de novos registros,
em informações providas pelo sistema bancário.
Quando o sistema se estabilizar, o CCS deverá responder a cerca de 3 mil consultas
diárias.
Toda conta que for aberta, fechada, movimentada ou abandonada, em qualquer
banco do País, estará armazenada ali, com origem, destino e nome do proprietário.
São três servidores e cinco CPU’s de diversas marcas trabalhando simultaneamente,
no que se costuma chamar de cluster.
Este conjunto é o novo coração de um grande sistema de processamento que ocupa
um andar inteiro do edifício-sede do Banco Central.

Seu poderio não vem da capacidade bruta de processamento, mas do software que o
equipa.
Desenvolvida pelo próprio BC, a inteligência artificial do Hal consumiu a maior parte
dos quase R$ 20 milhões destinados ao projeto – gastos principalmente com a
compra de equipamentos e o pagamento da mão-de-obra especializada.

Só há dois sistemas parecidos no planeta. Um na Alemanha, outro na França, mas
ambos são inferiores ao brasileiro
. No alemão, por exemplo, a defasagem entre a
abertura de uma conta bancária e seu registro no computador é de dois meses.

Aqui, o prazo é de dois dias. Não por acaso, para chegar perto do Hal, é preciso
passar por três portas blindadas, com código de acesso especial.
Visto em perspectiva, o sistema é o complemento tecnológico do Sistema Brasileiro
de Pagamentos (SBP), que, nos anos de Armínio Fraga à frente do BC, uniformizou as
relações entre os bancos, as pessoas, empresas e o governo.

Com o Hal, o Banco Central ganha uma ferramenta tecnológica a altura de um
sistema financeiro altamente informatizado e moderno. “Recuperamos o tempo
perdido”, diz o diretor de Administração do BC, João Antônio Fleury.

O supercomputador promete, também, ser uma ferramenta decisiva no combate a
fraudes, caixa dois e lavagem de dinheiro no Brasil. ‘ “Vamos abrir senha para que os
juízes possam acessar diretamente o computador”, informa Fleury.
O banco de dados do Hal remete aos movimentos dos últimos cinco anos.

Antes de sua chegada, quando a Justiça solicitava uma quebra de sigilo bancário, o
Banco Central era obrigado a encaminhar ofício a 182 bancos, solicitando
informações sobre um CPF ou CNPJ. Multiplique-se isso por três mil pedidos
diários. São 546 mil pedidos de informações à espera de meio milhão de respostas.
Em determinados casos, o pedido de quebra de sigilo chegava ao BC com um mimo:
“Cumpra-se em 24 horas, sob pena de prisão”.
A partir da estréia do Hall, com um simples clique, COAF, Ministério Público, Polícia
Federal e qualquer juiz têm acesso a todas as contas que um cidadão ou uma
empresa mantêm no Brasil
.

R$ 20 milhões foi o orçamento da criação do cadastro de clientes do sistema
financeiro. Sob controle 182 bancos 150 milhões de contas 1 milhão de dados
bancários por dia ….
RECEITA FEDERAL APERTA O CERCO CONTRA OS CONTRIBUINTES
Abril/2009
Todos devem começar a acertar a sua situação com o leão, pois no próximo ano o
fisco começa a cruzar mais informações e no máximo em dois anos eles vão cruzar
tudo.
As informações que envolvam o CPF ou CNPJ serão cruzadas on-line com:
CARTÓRIOS: Checar os bens imóveis – terrenos, casas, aptos, sítios, construções;
DETRANS: Registro de propriedade de veículos, motos, barcos, jet-skis e etc.;
BANCOS: Cartões de crédito, débito, aplicações, movimentações, financiamentos;
EMPRESAS EM GERAL: Além das operações já rastreadas (Folha de pagamentos,
FGTS, INSS, IRR-F e etc,), passam a ser cruzadas as operações de compra e venda de
mercadorias e serviços em geral, incluídos os básicos (luz, água, telefone, saúde),
bem como os financiamentos em geral
. Tudo através da Nota Fiscal Paulista, Nota
Fiscal Eletrônica e Nota Fiscal Digital.
TUDO ISSO NOS ÂMBITOS MUNICIPAL, ESTADUAL E FEDERAL, amarrando pessoa
física e pessoa jurídica através destes cruzamentos inclusive os últimos 5 anos.
Este sistema é um dos mais modernos e eficientes já construídos no mundo e logo
estará operando por inteiro.
Só para se ter uma idéia, as operações relacionadas com cartão de crédito e débito
foram cruzadas em um pequeno grupo de empresas varejistas no fim do ano
passado, e a grande maioria deles sofreram autuações, pois as informações
fornecidas pelas operadoras de cartões ao fisco (que são obrigados a entregar a
movimentação), não coincidiram com as declaradas pelos lojistas.
Este cruzamento das informações deve, em breve, se estender o número muito
maior de contribuintes, pois o resultado foi ‘muito lucrativo’ para o governo.

Sua empresa é optante pelo SIMPLES ? então veja esta curiosidade inquietante:
TRIBUTAÇÃO PELO LUCRO REAL: Maioria das empresas de grande porte.
Representam apenas 6% das empresas do Brasil e são responsáveis por 85% de toda
arrecadação nacional;
TRIBUTAÇÃO PELO LUCRO PRESUMIDO: Maioria das empresas de pequeno e médio
porte. Representa 24% das empresas do Brasil e são responsáveis por 9% de toda
arrecadação nacional;
TRIBUTAÇÃO PELO SIMPLES NACIONAL: 70% das empresas do Brasil e respondem por
apenas 6% de toda arrecadação nacional, ou seja, é nas empresas do SIMPLES que o
FISCO vai focar seus esforços, pois é nela onde se concentra a maior parte da
informalidade.
A recomendação é de que as empresas devem se esforçar cada vez mais no sentido
de “ir acertando” os detalhes que faltam para minimizar problemas com o FISCO.
Leia a matéria abaixo para maiores esclarecimentos
.
FISCO APERTA O CONTROLE DOS CONTRIBUINTES
A Receita Federal passou a contar com o T-Rex, um supercomputador que leva o
nome do devastador Tiranossauro Rex, e o software Harpia, ave de rapina mais
poderosa do país, que teria até a capacidade de aprender com o ‘comportamento’
dos contribuintes para detectar irregularidades.

O programa vai integrar as secretarias estaduais da Fazenda, instituições
financeiras, administradoras de cartões de crédito e os cartórios.
Com fundamento na Lei Complementar nº 105/2001 e em outros atos normativos, o
órgão arrecadador-fiscalizador apressou-se em publicar a Instrução Normativa RFB
nº 811/2008, criando a Declaração de Informações sobre Movimentação Financeira
(DIMOF), pela qual as instituições financeiras têm de informar a movimentação de
pessoas físicas, se a mesma superar a ínfima quantia de R$ 5.000,00 no semestre, e
das pessoas jurídicas, se a movimentação superar a bagatela de R$ 10.000,00 no
semestre. A primeira DIMOF será apresentada até 15 de dezembro de 2008.
IMPORTANTE: O acompanhamento e controle da vida fiscal dos indivíduos e das
empresas ficará tão aperfeiçoado que a Receita Federal passará a oferecer a
declaração de imposto de renda já pronta, para validação do contribuinte, o que
poderá ocorrer já daqui a dois anos.
Apenas para a primeira etapa da chamada Estratégia Nacional de Atuação da
Fiscalização da Receita Federal para o ano de 2008 foi estabelecida a meta de
fiscalização de 37 mil contribuintes, pessoas físicas e jurídicas, selecionados com
base em análise da CPMF, segundo publicado em órgãos da mídia de grande
circulação.
O projeto prevê, também, a criação de um sistema nacional de informações
patrimoniais dos contribuintes, que poderia ser gerenciado pela Receita Federal e
integrado ao Banco Central, Detran, e outros órgãos.
Para completar, já foi aprovado um instrumento de penhora on-line das contas
correntes.
Por força do artigo 655-A, incorporado ao CPC pela Lei 11382/2006, poderá
requerer ao juiz a decretação instantânea, por meio eletrônico, da indisponibilidade
de dinheiro ou bens do contribuinte submetido a processo de execução fiscal.
Tendo em vista esse arsenal, que vem sendo continuamente reforçado para
aumentar o poder dos órgãos fazendários, recomenda-se que o contribuinte
promova revisão dos procedimentos e controles contábeis e fiscais praticados nos
últimos cinco anos
. A Receita está trabalhando mesmo.
Hoje a Receita Federal tem diversos meios – controles para acompanhar a
movimentação financeira das pessoas. Além da DIMOF, temos a DIRPF, DIRPJ,
DACON. DCTF, DITR, DIPI, DIRF, RAIS, DIMOB, etc. etc. Ou seja, são varias fontes de
informações.
Esse sistema HARPIA, já estava em teste há 2 dois anos, e agora está trabalhando
pra valer.
Com a entrada em vigor da nota fiscal eletrônica e do SPED, que vai começar pra
valer em 2009, essa situação vai piorar, ou melhor, melhorar a arrecadação.
Todo cuidado é pouco. A partir de agora todos devem ter controle de todos os
gastos no ano e verificar se os rendimentos ou outras fontes são suficientes para
comprovar os pagamentos, além das demais preocupações, como lançar
corretamente as receitas, bens, etc.

A Arca de Noé hoje em dia

enviado pelo amigo Silvio L.
Um dia, o Senhor chamou Noé que morava em Porto Alegre e ordenou-lhe:

– Dentro de 6 meses, farei chover ininterruptamente durante 40 dias e 40 noites, até que o Brasil seja coberto pelas águas.

Os maus serão destruídos,
mas quero salvar os justos e um casal de cada espécie animal.

Vai e constrói uma arca de madeira.
No tempo certo, os trovões deram o aviso e os relâmpagos cruzaram o céu.
Noé chorava, ajoelhado no quintal de sua casa,
quando ouviu a voz do Senhor soar furiosa, entre as nuvens:
Onde está a arca, Noé?
Perdoe-me, Senhor suplicou o homem.

Fiz o que pude, mas encontrei dificuldades imensas:
Primeiro tentei obter uma licença da Prefeitura ,
mas para isto, além das altas taxas para obter o alvará,
me pediram ainda uma contribuição para a campanha para eleição do prefeito.
Precisando de dinheiro, fui aos bancos e não consegui
empréstimo, mesmo aceitando aquelas taxas de juros …

O Corpo de Bombeiros
exigiu um sistema de prevenção de incêndio, mas consegui contornar, subornando um funcionário.
Começaram então os problemas com o IBAMA e a
FEPAM para a extração da madeira.

Eu disse que eram ordens SUAS, mas eles só queriam saber se eu tinha um “Projeto de Reflorestamento ” e um tal de
“Plano de Remanejamento”.

Neste meio tempo ELES descobriram também uns casais de
animais guardados em meu quintal.
Além da pesada multa, o fiscal falou em “Prisão Inafiançável ” e eu acabei tendo que matar o fiscal, porque,
para este crime, a lei é mais branda.

Quando resolvi começar a obra, na raça,apareceu o CREA e me multou porque eu não tinha um Engenheiro Naval
responsável pela construção.

Depois apareceu o Sindicato exigindo que eu contratasse seus marceneiros com garantia de emprego por um ano.
Veio em seguida a Receita Federal , falando
em ” sinais exteriores de riqueza ” e também me multou.

Finalmente, quando a Secretaria de Municipal do Meio Ambiente pediu o ” Relatório de Impacto Ambiental ” sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa do Brasil.
Aí, quiseram me internar num Hospital Psiquiátrico!

Sorte que o INSS estava de greve…
Noé terminou o relato chorando, mas notou que o céu clareava perguntou:
Senhor, então, não irás mais destruir o Brasil?
Não! – respondeu a Voz entre as nuvens
– Pelo que ouvi de ti, Noé,
cheguei tarde!
O governo já se encarregou de fazer isso.
!