A sonda de Marte -lançada em 1971 ! Russian Mars 3 maybe found !

A sonda (soviética Mars 3 pode ter sido encontrada por cidadãos russos que procuravam a Curiosity da Nasa. Em 1971 a antiga União Soviética lançou o Mars 2 e o Mars 3 para Marte. Ambas as missões orbitais foram bem sucedidas, embora a superfície de Marte seja obscurecida por tempestades de poeira que cercam o planeta. A Mars 2 caiu mas a Mars 3 tornou-se o primeiro pouso bem-sucedido com suavidade sobre o Planeta Vermelho. Infelizmente, depois de apenas 14,5 segundos de transmissão após o pouso por razões desconhecidas. Esta imagem contém 1,8 bilhão de pixels de dados, de modo que cerca de 2.500 telas de computador seriam necessários para ver a imagem inteira em resolução máxima.
Veja mais detalhes abaixo e  no site:

http://www.uahirise.org/ESP_031036_1345

 In 1971 the former Soviet Union launched the Mars 2 and Mars 3 missions to Mars. Each consisted of an orbiter plus a lander. Both orbiter missions were successful, although the surface of Mars was obscured by a planet-encircling dust storm. The Mars 2 lander crashed but Mars 3 became the first successful soft landing on the Red Planet. Unfortunately, after just 14.5 seconds transmission from the lander stopped, for unknown reasons. Veja mais em Todas as sondas lançadas até hoje:
Veja muito mais em:
http://www.scientificamerican.com/article.cfm?id=mars-map

Terra x Marte: entenda a distância. Understand the distance between Earth and Mars.

Considerando que a terra tenha uma área (largura) de 100 pixels (ou 12.756 km) , entenda
a distância da terra até lua e depois do nosso planeta até Marte. A velocidade da “nave” é
de 7.000 “pixels” por segundo . A lua estaria 3.000 pixels distante do nosso planeta. Marte estaria
428.000 “pixels” de distância. Entenda a distância que os astronautas irão enfrentar, provavelmente
em 2030.

Pedaço de Marte na Terra!

Abaixo uma foto do meteorito marciano encontrado na terra. Até hoje tem-se notícia de 110 pedaços da superfície 

marciana. Mas como os cientistas sabem a origem da peça?






Reportagem de Amina Khan,do jornal Los Angeles Times –

Cientistas identificaram o que eles acreditam ser o primeiro meteorito de origem marciana, conforme amostra de 2,1 bilhões de anos de idade.
Descoberto no Deserto do Saara, a rocha – chamada de  NWA 7034 – é diferente de qualquer um  dos 110 meteoritos marcianos  encontrados na Terra, de acordo com um relatório publicado quinta-feira pela revista Science.
Especialistas disseram que o material fornece informações  sem precedentes da superfície de Marte e pode ajudar os cientistas a entender o que a sonda  “Curiosity” e  os rovers Opportunity estão vendo ao es percorrer o terreno.
“Isso abre uma janela totalmente nova em Marte”, disse Munir Humayun, um cosmo-químico da Universidade da Flórida,
Embora os cientistas planetários enviaram várias naves espaciais para Marte – mais recentemente Curiosity, que está equipada com um laboratório químico a bordo – não há substituto para uma amostra na mão, disse o líder do estudo Carl Agee, diretor do Instituto de Meteoritics da Universidade do Novo México em Albuquerque. 
Cientistas na Terra pode executar testes sofisticados e recolher uma riqueza de informações sobre a história da rocha  e do ambiente em que ela se formou – ao contrário dos testes realizados no rover em marte que é limitado, sem condições de realiza-lo.
NWA 7034 foi encaminhado para Agee em 2011 por meio de um colecionador  de meteoritos  que o comprou de um negociante no Marrocos. O cientista planetário disse que ficou  imediatamente impressionado com a amostra de 319,8 gramas, o que é aproximadamente do tamanho de uma bola de beisebol e duas vezes mais pesado.
NWA 7034 não parecia ser semelhante aos demais meteoritos com origem em Marte. A Fluoração Laser revelou através de exames de isótopos de oxigênio, considerada uma impressão digital que permite uma descrição da origem de um meteorito, não havia nenhuma semelhança com outros meteoritos vindos de Marte, devido a sua composição quimica ser diferente até mesmo dos dados enviados pelas sondas e naves espaciais que examinaram a superfície do Planeta Vermelho.

Sem o exame minuscioso  da equipe de Agee , a rocha espacial pode ter sido classificado como um pedaço de asteróide excêntrico e possivelmente esquecido. Mas o exame com rubídio-estrôncio  indicou que NWA 7034 tinha  2,1 bilhões de anos – muito jovem para vir de um asteróide.
Meteoritos que vêm de asteróides são tipicamente mais de 4 bilhões de anos, uma vez que esses pequenos corpos rochosos rapidamente resfriaram após a formação do sistema solar. Planetas, por outro lado, mantiveram atividade vulcânica por muito mais tempo, e  muitas das suas pedras formadas  mais tarde.
Beleza Negra deve ter vindo de um planeta, os membros da equipe concluiram.
O meteorito tinha muito ferro para ter vindo de Mercúrio e tinha muitos traços de água para ter vindo de Vênus. Mas quando eles analisaram minerais chamados piroxênios, eles descobriram que a proporção de ferro ao manganês  encontrados eram semelhantes aos de outros meteoritos marcianos.
Outras análises mostraram que a Beleza Negra era rica em sódio e potássio, dando-lhe uma impressionante semelhança com rochas na superfície marciana examinado pela sonda do Curiosity.
Isso  levou a conclusão que  NWA 7034  é uma amostra da crosta marciana disse Agee.
“O que Carl Agee fez foi realmente muito corajoso”, disse Humayun. “Eles pesquisaram para além do que a maioria das pessoas teria feito”. 
Análise adicional mostrou que Beleza Negra continha água cerca de 10 vezes mais do que qualquer outro  meteorito marciano – cerca de 6.000 partes por milhão.
Talvez Marte tenha sido mais úmido do que os cientistas imaginam,disse Agee. ” Isto é muito mais água do que uma rocha de sua idade deveria ter. 

Há mesmo indícios de carbono orgânico no meteorito, embora  pesquisas precisam determinar se este material  foi adicionado depois de chegar ao nosso planeta. 


Não está claro por que a maioria dos meteoritos marcianos vêm do interior do planeta, ele acrescentou, porém, pode ser que a rocha da crosta do planeta  é mais frágil e menos propensa a sobreviver a uma viagem através do espaço ou a entrada na atmosfera da Terra.

A descoberta pode inspirar os cientistas a voltar para os seus arquivos e reconsiderar  outros meteoritos . Talvez existam mais espécimes de Marte  em laboratórios à espera de ser identificados, disse Humayun .

Professor Carl Agee at the University of New Mexico is conducting research on what is believed to be the first meteorite from the surface of Mars. The specimen is 2.1 billion years old and roughly the size of a baseball. It differs from each of the approximately 110 other Martian meteorites found on Earth. Not only is it believed to be from the surface of the planet, but it is much older than the majority and its water content is ten times that of the others.
An American collector purchased the find, originally discovered in the Sahara desert, in 2011 from a Moroccan meteorite dealer. Scientists hope it will enable them to learn unprecedented information about the Martian crust. Munir Humayun, cosmo-chemist at Florida State University, said of the space rock:

“This opens a whole new window on Mars.”