Volkswagen Beetle -eletrico( Fusca) ! video e photo

Students of Federal Technological University of Paraná (UTFPR)-Brasil – transformed the famous Volkswagen Beetle driven by fuel in an electric car. Students are from diverse areas of engineering an the investment was $ 14 thousand. The vehicle is running in the city of Cornelio Procopio for more than two months, was presented on campus during the National Week of Science and Technology. Besides totally ecological, the version is also more economical. With a cost of $ 0.04 per km driven, the speed can reach 37,5 miles / h – a typical car fueled with gasoline spent on average $ 0.15 per km. The original design had been developed 30 years ago by a former electrical engineer from the University Jilo Yamazaki, returning now by his son, Danilo Yamazaki who brought back the idea and, after investments of entrepreneurs from Londrina, was completed. The vehicle was presented at the National Science Week in Cornelio Procopio, Parana state in northern of  Brasil.

 Estudantes da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) transformaram o famoso Fusca movido por combustível em um carro elétrico. Os estudantes são de diversas áreas de engenharia da Universidade O investimento foi de R$ 25 mil. O veículo circula na cidade de Cornélio Procópio há mais de dois meses, foi apresentado no campus da universidade, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Além de totalmente ecológica, a versão também é mais econômica. Com um custo de R$ 0,07 por quilômetro rodado, a velocidade pode chegar a 60 km/h – um carro comum abastecido com gasolina gasta em média R$ 0,26 por quilômetro. O projeto original havia sido desenvolvido há 30 anos por um antigo engenheiro elétrico da universidade Jilo Yamazaki,retornando agora através de seu filho , Danilo Yamazaki que trouxe de volta a ideia e, após investimentos de empresários de Londrina, foi finalizado. O veículo foi apresentado na Semana Nacional de Ciências, em Cornélio Procópio, norte do estado paranaense no Brasil

.

Anúncios

Enc: Porque não temos carros elétricos no Brasil?

Enviado pelo amigo Silvio L.

click in the tittle to see it in english.
Recentemente, a equipe do HypeScience teve o prazer de dirigir o Nissan LEAF,
 um carro 100% elétrico, com zero emissão de carbono.

Ele já foi lançado e premiado em vários cantos do mundo (Japão, EUA e Europa),
mas não no Brasil, assim como outros elétricos, como o principal concorrente do LEAF,
o híbrido Prius, da Toyota. Por quê?
Segundo a Nissan, o LEAF não tem previsão de ser lançado no Brasil por que a legislação brasileira não favorece carros elétricos. Não há nenhum incentivo tributário à produção, comercialização e licenciamento de veículos elétricos aqui, o que acontece em outros lugares do mundo – graças ao conceito ambiental ligado aos carros elétricos, que não prejudica tanto o meio ambiente.
Montadoras como a Nissan, Renault, Mitsubishi e General Motors tentam pressionar
o governo brasileiro a conceder benefícios para os modelos elétricos e híbridos, mas a situação é completamente inversa: os elétricos pagam 25% de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), porque nossa legislação não prevê carros sem motores a pistão.Isso significa que o governo enquadra o elétrico da mesma forma que um superesportivo com motor V12.

Segundo o ex-prefeito de Curitiba, e atual secretário estadual do planejamento no governo do Paraná, Cássio Taniguchi, isso é um absurdo. “A legislação brasileira compara os elétricos como ‘carros para ricos’. Temos que mudar isso o mais rápido possível, o governo já está querendo facilitar essa comercialização”, diz.
Taniguchi aprova os elétricos, acreditando que eles podem ser o futuro. “É a grande jogada, eles são a solução”, complementa.
A Nissan diz que a carga tributária brasileira agregada ao preço final do produto é desproporcional e torna inviável a comercialização do Nissan LEAF. O IPI de veículos elétricos é o mesmo dos veículos mais poluidores a combustão: 25%.A contribuição ao Programa de Integração Social (PIS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) é de 11,6%. O ICMS varia entre 18% e 19% dependendo do estado, enquanto o IPVA, apesar da isenção em sete estados, pode atingir até 4% em outros.
Outros países, como Portugal, Espanha, Japão e Austrália estão incentivando os elétricos, por causa dos seus benefícios.
Portugal, por exemplo, estabeleceu a tributação dos automóveis com base nas emissões de poluentes e não de acordo com valor do bem. O Japão estuda uma forma mista, considerando o valor do carro e as suas emissões.

O veículo elétrico gasta menos do que o carro convencional para percorrer o mesmo trajeto, e o fato de ser de propulsão elétrica é vantagem para a matriz energética brasileira, baseada na energia gerada por usinas hidrelétricas que, além de abundantes, são consideradas fontes limpas.
Sendo assim, podemos dizer que estamos muito atrasados; está na hora do Brasil reconhecer as vantagens dos veículos elétricos, e permitir que cada cidadão faça sua escolha. O que você acha? Você compraria um carro elétrico?

Outro questionamento: o seu deputado apoia ou é contra a evolução de tecnologia visando menos ruído,
poluição e dependência do petróleo?

Inovação em carros elétricos (este é novidade…)

Esse é o Tango – um carro pensado para as grandes cidades – que oferece o tamanho de uma moto – pouco mais de 2 metros e meio de comprimento e menos de 1 metro de largura – com a segurança e desempenho de um esportivo – chega de 0 a 100 em 4 segundos e passa de 240km/hE o melhor – não polui – possui um motor elétrico. É a solução (quase) perfeita para as grandes cidades. Pode andar na estrada – e leva dois passageiros, como uma moto. Mas não pega chuva, vento nem frio. E tem uma estrutura de aço mais forte (proporcionalmente) do que uma picape – suporta batidas de mais de 300km/h. As baterias levam cerca de 3 horas para carregar , e, com um carregador de 200 amperes, 80% da carga fica disponível em 10 minutos, o suficiente para rodar cerca de 80km. E é BEM mais seguro que uma moto. Oferece, além da celula de proteção digna de um carro de corridas, freios a disco nas quatro rodas com ABS.