Conheça o Cubli -equilíbrio e movimento !

A combinação inteligente de rodas motorizadas que reagem, sensores, processadores e software permitem que este cubo de 15 centímetros, o Cubli de se equilibrar num dos cantos ou na borda,estabilizando-se em caso de choques,batidas,ou giran- do em um dos cantos. Ele também pode erguer-se aproveitando-se da velocidade das rodas, freiando de repente e usando o momentum angular para saltar e, em seguida, cair para um lado. O Cubli mede 15 × 15 × 15 cm em forma de cubo que pode saltar para cima e equilibrar-se em seus cantos. Rodas de reação internas montados em três faces do cubo giram em altas velocidades angulares e depois fream de repente, fazendo com que o Cubli salte para cima. Uma vez que o Cubli atinge o canto na posição de pé , torques do motor controlados são aplicados para mantê-lo equilibrado em seu canto. Além de equilíbrio, os binários do motor também pode ser utilizados para conseguir uma queda controlada de tal modo que o Cubli possa ser comandado para cair em qualquer direcção arbitrária. A combinação desses três habilidades – pulando, equilibrando, e caindo de maneira controlada – faz com que o Cubli seja capaz de “andar”.

Anúncios

Um microscópio excelente com seu Smartphone!

O mundo é um lugar interessante, mas é fascinante quando visto mais de perto. Através da lente de um microscópio, você pode encontrar detalhes que de outra maneira nunca iria perceber. 
Mas agora você pode. Veja  como construir um suporte  que irá transformar o seu smartphone em um microscópio digital poderoso.
 Esta conversão é mais do que capaz de funcionar em um ambiente de laboratório real. Com níveis de ampliação tão alto quanto 175x, as células vegetais e seus núcleos são facilmente observado! Além de permitir a observação de células, esta configuração também produz macro fotografias .O video aqui foi feito com um  iPhone 4S.   Assista ao vídeo abaixo para uma rápida visão geral do projeto!
Visto no site:
http://www.instructables.com/id/10-Smartphone-to-digital-microscope-conversion/

O Grafeno vem aí!!Chega de pilhas e baterias!!

Uma bateria pode conter uma grande quantidade de energia, mas leva muito tempo para carregar. Um capacitor pode ser carregado muito rapidamente, mas não detém uma quantidade comparável de energia.
Um “supercharger” – supercarga  grafeno é o melhor de ambos: leva apenas alguns segundos para carregar, mas armazena uma grande quantidade de energia. Imagine ser capaz de carregar o seu laptop descarregado ou bateria do telefone em 30 segundos, e seu carro elétrico em poucos minutos. Além disso, ao contrário das baterias, os supercapacitores grafeno não são tóxicos.
O Prêmio Nobel foi concedido para os inventores do Grafeno em 2010. Wikipedia define grafeno como uma substância “, composto de carbono puro, com os átomos dispostos em um padrão regular hexagonal semelhante ao grafite, mas em uma folha de um átomo de espessura. Ele é muito leve, com uma folha um metros quadrados, pesando apenas 0,77 miligramas . “

A battery can hold a lot of energy, but it takes a long time to charge it. A capacitor can be charged very quickly, but doesn’t hold a comparable amount of energy.
A graphene supercharger is the best of both: it takes just seconds to charge, yet stores a lot of energy. Imagine being able to charge your spent laptop or phone battery in 30 seconds, and your electric car in a few minutes. Also, unlike batteries, Graphene supercapacitors are non-toxic.
The Nobel Prize was awarded to the inventors of Graphene in 2010. Wikipedia defines Graphene as a “substance composed of pure carbon, with atoms arranged in a regular hexagonal pattern similar to graphite, but in a one-atom thick sheet. It is very light, with a 1-square-meter sheet weighing only 0.77 milligrams.”

Pedaço de Marte na Terra!

Abaixo uma foto do meteorito marciano encontrado na terra. Até hoje tem-se notícia de 110 pedaços da superfície 

marciana. Mas como os cientistas sabem a origem da peça?






Reportagem de Amina Khan,do jornal Los Angeles Times –

Cientistas identificaram o que eles acreditam ser o primeiro meteorito de origem marciana, conforme amostra de 2,1 bilhões de anos de idade.
Descoberto no Deserto do Saara, a rocha – chamada de  NWA 7034 – é diferente de qualquer um  dos 110 meteoritos marcianos  encontrados na Terra, de acordo com um relatório publicado quinta-feira pela revista Science.
Especialistas disseram que o material fornece informações  sem precedentes da superfície de Marte e pode ajudar os cientistas a entender o que a sonda  “Curiosity” e  os rovers Opportunity estão vendo ao es percorrer o terreno.
“Isso abre uma janela totalmente nova em Marte”, disse Munir Humayun, um cosmo-químico da Universidade da Flórida,
Embora os cientistas planetários enviaram várias naves espaciais para Marte – mais recentemente Curiosity, que está equipada com um laboratório químico a bordo – não há substituto para uma amostra na mão, disse o líder do estudo Carl Agee, diretor do Instituto de Meteoritics da Universidade do Novo México em Albuquerque. 
Cientistas na Terra pode executar testes sofisticados e recolher uma riqueza de informações sobre a história da rocha  e do ambiente em que ela se formou – ao contrário dos testes realizados no rover em marte que é limitado, sem condições de realiza-lo.
NWA 7034 foi encaminhado para Agee em 2011 por meio de um colecionador  de meteoritos  que o comprou de um negociante no Marrocos. O cientista planetário disse que ficou  imediatamente impressionado com a amostra de 319,8 gramas, o que é aproximadamente do tamanho de uma bola de beisebol e duas vezes mais pesado.
NWA 7034 não parecia ser semelhante aos demais meteoritos com origem em Marte. A Fluoração Laser revelou através de exames de isótopos de oxigênio, considerada uma impressão digital que permite uma descrição da origem de um meteorito, não havia nenhuma semelhança com outros meteoritos vindos de Marte, devido a sua composição quimica ser diferente até mesmo dos dados enviados pelas sondas e naves espaciais que examinaram a superfície do Planeta Vermelho.

Sem o exame minuscioso  da equipe de Agee , a rocha espacial pode ter sido classificado como um pedaço de asteróide excêntrico e possivelmente esquecido. Mas o exame com rubídio-estrôncio  indicou que NWA 7034 tinha  2,1 bilhões de anos – muito jovem para vir de um asteróide.
Meteoritos que vêm de asteróides são tipicamente mais de 4 bilhões de anos, uma vez que esses pequenos corpos rochosos rapidamente resfriaram após a formação do sistema solar. Planetas, por outro lado, mantiveram atividade vulcânica por muito mais tempo, e  muitas das suas pedras formadas  mais tarde.
Beleza Negra deve ter vindo de um planeta, os membros da equipe concluiram.
O meteorito tinha muito ferro para ter vindo de Mercúrio e tinha muitos traços de água para ter vindo de Vênus. Mas quando eles analisaram minerais chamados piroxênios, eles descobriram que a proporção de ferro ao manganês  encontrados eram semelhantes aos de outros meteoritos marcianos.
Outras análises mostraram que a Beleza Negra era rica em sódio e potássio, dando-lhe uma impressionante semelhança com rochas na superfície marciana examinado pela sonda do Curiosity.
Isso  levou a conclusão que  NWA 7034  é uma amostra da crosta marciana disse Agee.
“O que Carl Agee fez foi realmente muito corajoso”, disse Humayun. “Eles pesquisaram para além do que a maioria das pessoas teria feito”. 
Análise adicional mostrou que Beleza Negra continha água cerca de 10 vezes mais do que qualquer outro  meteorito marciano – cerca de 6.000 partes por milhão.
Talvez Marte tenha sido mais úmido do que os cientistas imaginam,disse Agee. ” Isto é muito mais água do que uma rocha de sua idade deveria ter. 

Há mesmo indícios de carbono orgânico no meteorito, embora  pesquisas precisam determinar se este material  foi adicionado depois de chegar ao nosso planeta. 


Não está claro por que a maioria dos meteoritos marcianos vêm do interior do planeta, ele acrescentou, porém, pode ser que a rocha da crosta do planeta  é mais frágil e menos propensa a sobreviver a uma viagem através do espaço ou a entrada na atmosfera da Terra.

A descoberta pode inspirar os cientistas a voltar para os seus arquivos e reconsiderar  outros meteoritos . Talvez existam mais espécimes de Marte  em laboratórios à espera de ser identificados, disse Humayun .

Professor Carl Agee at the University of New Mexico is conducting research on what is believed to be the first meteorite from the surface of Mars. The specimen is 2.1 billion years old and roughly the size of a baseball. It differs from each of the approximately 110 other Martian meteorites found on Earth. Not only is it believed to be from the surface of the planet, but it is much older than the majority and its water content is ten times that of the others.
An American collector purchased the find, originally discovered in the Sahara desert, in 2011 from a Moroccan meteorite dealer. Scientists hope it will enable them to learn unprecedented information about the Martian crust. Munir Humayun, cosmo-chemist at Florida State University, said of the space rock:

“This opens a whole new window on Mars.”

Japonês inventa máquina incrível!

enviado por e-mail pelo amigo Silvio L. Este cidadão japonês inventou uma máquina capaz de transformar o plástico de garrafas,sacolas,embalagens e outros em petróleo novamente.Divulgar e levar ao mundo máquinas como esta poderão ajudar na conservação do meio ambiente. Divulge!