Mais emprego no Brasil, se a lista de exageros sumir…

A Revista Época de 08 de agosto de 2011, mostra através do diagrama abaixo (representado pelas cores) o que se paga para cada um dos empregados com carteira registrada além do salário mensal.São contribui-
ções ao governo,benefícios adicionais aos empregados, benefícios indiretos e até contribuições sobre con-
tribuições.
É necessário uma nova forma de contribuir para a previdência e assegurar as conquistas trabalhistas.
Da maneira como esta o produto brasileiro acaba absorvendo estes acréscimos e não há como com-
petir com o produto estrangeiro,além de haver uma redução no número de contratações de pessoas
tanto nas grandes como nas pequenas empresas.



O s encargos somam 102%  da folha de pagamento como pode ser visto abaixo em detalhes.

Anúncios

Palmada é lei…confisco dos filhos pelo estado.

Texto copiado do blog:
http://opica-pau.blogspot.com/2010/08/o-confisco-dos-filhos-pelo-estado.html#comment-form

O confisco dos filhos pelo Estado

O neném, de um ano, gatinha pela sala desbravando novos mundos que lhe vão ampliando o conhecimento, aproveitando o descuido dos adultos engajados em animada conversa. Após alguns metros de percurso, dois buraquinhos numa tomada lhe atiçam a curiosidade.

O que será isso? É a pergunta que lhe vem ao espírito, imersa, é verdade, na nebulosidade mental própria à sua muito tenra idade. Que tal enfiar ali o dedo para apalpar e compreender do que se trata?

Zeloso, por uma segunda natureza, o olhar materno detecta a situação que ameaça o juveníssimo e intui a iminência de um acidente. Célere, ainda sentada, a mãe procura evitar o perigo.

“Nãããooo. Não coloque o dedinho aí que você leva um choque.”

Estacando e voltando seus olhos para a mãe, sem compreender direito, mas intuindo as palavras de advertência, olha de novo os buraquinhos da tomada e volta a olhar a fisionomia vigilante da mãe.

Desagradado pela interrupção da sua exploração, sobretudo movido pela curiosidade que o domina, o neném resolve continuar sua investida. Volta-se para os buraquinhos decidido a introduzir num deles o dedinho. Nova advertência, nova parada, nova recusa, nova tentativa.

A curiosidade invencível não o abandona, e ele não cede. “Vou colocar meu dedinho no buraquinho.” Resolve e avança.

Percebendo que suas advertências foram insuficientes, a mãe opta por empregar um recurso que poupe ao filho querido um desastre e lhe grave eficazmente o ensinamento na memória. Dá-lhe uma ponderada, mas não fictícia, palmada.

O neném chora (um choro nem sempre isento de tática psicológica), porém mais por perceber o desagrado da mãe do que pela dor do golpe.

Durante ulterior incursão, vê-se de frente aos dois buraquinhos. Vem a curiosidade, vem o desejo de introduzir o dedinho, mas vem também a lembrança da palmada. Ele desiste e se resigna a não introduzir o dedinho. Continua o seu caminho, ileso.

Por que ele conseguiu não colocar o dedinho na tomada?

A atitude da mãe indicando reprovação e zelo, somada à palmada (punição pela desobediência), deram-lhe uma força de auto domínio que ele não tinha. Além de incutir um senso de justiça verdadeiro, embora muito elementar.

Bendita palmada que, sendo equilibrada e justa, ajudou o pequeno a dominar-se e a vencer-se a si próprio.

Bendita a mãe que soube formar o seu filho ensinando-o a dominar-se e a dizer não a si mesmo, pois sem isso é impossível viver bem e ser bom. Esta mãe amou o seu filho.

Ninguém tem condições mais privilegiadas para fazer isso do que a mãe e o pai, no âmbito do lar. O governo jamais conseguirá proporcionar aos pequenos um ensinamento de tal qualidade, tão eficaz.

A lei contra as palmadas introduz dentro de casa um “olhar soturno do governo” que ficará perpetuamente entre os pais e a criança como um protetor dela contra eles. Criará a impressão de que, no fundo, os pais são maus e o Estado é bom. Salta aos olhos que o verdadeiro dono dos filhos será o Estado..

Pasmo ao imaginar que o Estado, favorável ao aborto, vira protetor dos filhos contra os pais!

Aliás, já existem leis preconizando a permanência dos filhos doze horas na escola logo a partir dos 3 ou 4 anos de idade. É a formação estatal, comunitária, igualitária, que torna a família desnecessária e a transforma em mera “chocadeira” para novos cidadãos.

Assim, o ditatorial PNDH 3 vai sendo executado sub-repticiamente visando jogar o Brasil no comunismo mais radical. Não nos iludamos, estamos na rampa para o abismo.

É preciso ser herói e não deixar-se arrastar.

obs: eu concordo e você?

O tamanho do "saco sem fundo"- Impostolândia !

enviado pelo amigo Silvio L.

text on the amount of taxes that citizens and businesses must

pay to be in order with the state …another “record” of Brasil…

#yiv862059654 v0003a* { }

Ultimamente queria matar a curiosidade de saber como esta o tamanho da carga tributária do Brasil. Podemos agora até emprestar dinheiro para a Grécia!!!!

Ontem tive oportunidade de rever todos os impostos,contribuições,taxas,receitas….

Saiu uma Portaria da Secretaria de Orçamento Federal que mexe nas classificações orçamentárias por natureza de receita. Ou seja: Traz nova identificação de onde vem o dinheiro arrecadado pelo governo em impostos, taxas, contribuições, etc.

Olhem só que monte de kákas:

Impostos

Impostos sobre o Comércio Exterior
-Imposto sobre a Importação
-Imposto sobre a Exportação
-Impostos sobre o Patrimônio e a Renda
-Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural
-Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – Municípios Conveniados
-Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural – Municípios Não-Conveniados
-Imposto sobre a Renda e Proventos de Qualquer Natureza Pessoas Físicas
-Pessoa Jurídica – Líquida de Incentivos
-Imposto de Renda Pessoa Jurídica – Simples Federal e Nacional
-Retido nas Fontes – Trabalho
-Retido nas Fontes – Capital
-Retido nas Fontes – Remessa ao Exterior
-Retido nas Fontes – Outros Rendimentos
-Impostos sobre a Produção e a Circulação
-Imposto sobre Produtos Industrializados Produtos do Fumo
-Bebidas
-Automóveis
-Vinculados à Importação
-Outros Produtos
-Imposto sobre Produtos Industrializados – Simples Federal e Nacional
-Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou Relativas a Títulos ou Valores Mobiliários
-Comercialização do Ouro
-Impostos Extraordinários

Ta x a s

-Taxas pelo Exercício do Poder de Polícia
-Taxa de Fiscalização dos Serviços de Irrigação e Operação da Adução de Água
-Taxas de Fiscalização das Telecomunicações
-Taxa de Fiscalização de Instalação
-Taxa de Fiscalização de Funcionamento
-Taxa de Controle e Fiscalização de Produtos Químicos
-Taxas do Departamento de Polícia Federal
-Taxas de Migração
-Taxa de Licenciamento, Controle e Fiscalização de Materiais Nucleares e Radioativos e suas Instalações
-Taxa de Fiscalização e Controle da Previdência Complementar – TAFIC
-Taxa de Fiscalização dos Produtos Controlados pelo Ministério do Exército
-Taxa de Fiscalização dos Mercados de Títulos e Valores Mobiliários
-Taxa de Fiscalização dos Mercados de Seguro, de Capitalização e da Previdência Privada Aberta
-Taxa de Fiscalização de Serviços de Energia Elétrica
-Taxa de Fiscalização de Vigilância Sanitária
-Taxa de Saúde Suplementar
-Taxa por Plano de Assistência à Saúde
-Taxa por Registro de Produto
-Taxa por Alteração de Dados de Produto
-Taxa por Registro de Operadora
-Taxa por Alteração de Dados de Operadora
-Taxa por Pedido de Reajuste de Contraprestação Pecuniária
-Taxa de Controle e Fiscalização Ambiental
-Taxa de Serviços Administrativos
-Taxa de Serviços Metrológicos
-Taxa de Fiscalização sobre a Distribuição Gratuita de Prêmios e Sorteios P 74
-Taxas pela Prestação de Serviços
-Emolumentos Consulares
-Taxa de Pedido de Visto em Contrato de Trabalho de Estrangeiro
-Taxa de Utilização do Sistema Eletrônico de Controle de Arrecadação do Adicional ao Frete para a Renovação da Marinha Mercante
-Taxa de Avaliação do Ensino Superior
-Taxa Judiciária da Justiça do Distrito Federal
-Emolumentos e Custas da Justiça do Distrito Federal
-Emolumentos e Custas Judiciais
-Taxa de Utilização do Sistema Integrado de Comércio Exterior – SISCOMEX
-Emolumentos e Custas Processuais Administrativas
-Emolumentos e Custas de Apreciação de Atos e Contratos
-Emolumentos e Custas Decorrentes de Consultas
-Taxa Militar
-Taxa de Classificação de Produtos Vegetais
-Taxa de Serviços Cadastrais
-Taxa de Serviços Aquícolas
-Outras Taxas pela Prestação de Serviços

Contribuição de Melhoria

-Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
-Receita de Parcelamentos – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social
-Contribuição para o Salário-Educação
-Cota-Parte da Contribuição Sindical
-Contribuição para o Ensino Aeroviário
-Contribuição para o Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo P Contribuição para o Fundo de Saúde das Forças Armadas P 00
-Contribuição sobre a Arrecadação dos Fundos de Investimentos Regionais Contribuição sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira
-Contribuição para o Custeio das Pensões Militares
-Contribuição sobre a Receita de Sorteios Realizados por Entidades Filantrópicas
-Contribuições sobre a Receita de Concursos de Prognósticos
-Contribuição sobre a Receita da Loteria Federal
-Contribuição sobre a Receita de Loterias Esportivas
-Contribuição sobre a Receita de Concursos Especiais de Loterias Esportivas
-Contribuição sobre a Receita de Loterias de Números
-Contribuição sobre a Receita da Loteria Instantânea
-Contribuição sobre a Receita de Outros Concursos de Prognósticos P 00
-Contribuição Sobre a Receita de Concurso de Prognóstico Específico Destinado ao Desenvolvimento da Prática Desportiva – Modalidade Futebol
-Outros Prêmios Prescritos
-Contribuições para o Regime Próprio de Previdência do Servidor Público
-Contribuição Patronal de Servidor Ativo Civil para o Regime Próprio -contribuição do Servidor Ativo Civil para o Regime Próprio
-Contribuição do Servidor Inativo Civil para o Regime Próprio
-Contribuição de Pensionista Civil para o Regime Próprio
-Contribuição Previdenciária para Amortização do Déficit Atuarial
-Contribuição Previdenciária em Regime de Parcelamento de Débitos – Contribuições Previdenciárias para o Regime Geral de Previdência Social
-Contribuição Previdenciária do Segurado Obrigatório – Contribuinte Individual
-Contribuição Previdenciária do Segurado Assalariado
-Contribuição Previdenciária da Empresa sobre Segurado Assalariado
-Contribuição Previdenciária da Empresa Optante pelo SIMPLES
-Contribuição Previdenciária sobre Espetáculo Desportivo
-Contribuição Previdenciária sobre a Produção Rural
-Contribuição Previdenciária em Regime de Parcelamento de Débitos – RGPS
-Contribuição Previdenciária para o Seguro de Acidente do Trabalho -Contribuição Previdenciária sobre Reclamatória Trabalhista
-Contribuição Previdenciária em Regime de Parcelamento de Débitos dos Municípios
-Contribuição Previdenciária do Segurado Obrigatório – Empresário
-Contribuição Previdenciária do Segurado Facultativo
-Contribuição Previdenciária do Segurado Especial
-Contribuição Previdenciária do Segurado Obrigatório – Empregado Doméstico
-Contribuição Previdenciária dos Órgãos do Poder Público P
-Contribuição Previdenciária das Entidades Filantrópicas P
-Contribuição Previdenciária – Retenção sobre Nota Fiscal – Sub-rogação
-Contribuição Previdenciária na Forma de Depósito Judicial, Recursal e Custas Judiciais
-Contribuição Previdenciária das Cooperativas de Trabalho Descontada do Cooperado
-Contribuições Previdenciárias
-Contribuições Rurais
-Contribuição Industrial Rural
-Adicional à Contribuição Previdenciária
-Contribuição e Adicional para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC
-Adicional à Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC
-Contribuição e Adicional para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial -SENAI
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI
-Adicional à Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – SENAI
-Contribuição e Adicional para o Serviço Social do Comércio – SESC
-Contribuição para o Serviço Social do Comércio – SESC
-Adicional à Contribuição para o Serviço Social do Comércio – SESC
-Contribuição e Adicional para o Serviço Social da Indústria – SESI
-Contribuição para o Serviço Social da Indústria – SESI
-Adicional à Contribuição ao Serviço Social da Indústria – SESI
-Contribuições para os Programas de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público – PIS/PASEP
-Contribuição Social sobre o Lucro das Pessoas Jurídicas
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR
-Contribuição para o Serviço Social do Transporte – SEST
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte – SENAT
-Contribuição para o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – SEBRAE
-Contribuição para o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – SESCOOP
-Contribuição sobre Jogos de Bingo
-Contribuição Relativa à Despedida de Empregado sem Justa Causa P 00
-Contribuição sobre a Remuneração Devida ao Trabalhador
-Outras Contribuições Sociais
-Contribuições Econômicas
-Contribuição para o Programa de Integração Nacional – PIN
-Contribuição para o Programa de Redistribuição de Terras e de Estímulo à Agroindústria do Norte e do Nordeste – PROTERRA
-Contribuições para o Desenvolvimento e Aperfeiçoamento das Atividades de Fiscalização
-Selo Especial de Controle
-Contribuição sobre Apostas em Competições Hípicas
-Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional
-Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional – Remessas
-Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional – Títulos P 00
-Adicional sobre as Tarifas de Passagens Aéreas Domésticas P 00
-Cota-Parte do Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante P Contribuição sobre a Receita das -Concessionárias e Permissionárias de Energia Elétrica P 00
-Contribuição pela Licença de Uso, Aquisição ou Transferência de Tecnologia
-Contribuição sobre a Receita das Empresas Prestadoras de Serviços de Telecomunicações
-Contribuição sobre a Receita Operacional Bruta Decorrente de Prestação de Serviços de Telecomunicações
-Contribuição sobre a Receita Bruta das Empresas Prestadoras de Serviços de Telecomunicações
-Contribuição Relativa às Atividades de Comercialização de Petróleo e seus Derivados, Gás Natural e Álcool Carburante
-Contribuição Relativa às Atividades de Importação de Petróleo e seus Derivados, Gás Natural e Álcool Carburante
-Contribuição Relativa às Atividades de Comercialização de Petróleo e seus Derivados, Gás Natural e Álcool Carburante
-Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Principal
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Excedente
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Residual
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas na Amazônia – Parcelamento de Débitos
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Principal
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Excedente
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Residual
-Contribuição sobre o Faturamento das Empresas de Informática Instaladas nas Demais Regiões – Parcelamento de Débitos
-Outras Contribuições Econômicas
-Outras Contribuições Econômicas – Principal
-Aluguéis
-Arrendamentos
-Foros
-Laudêmios
-Taxa de Ocupação de Imóveis
-Taxa de Ocupação de Terrenos da União P 00
-Taxa de Ocupação de Imóveis Funcionais e Próprios Nacionais Residenciais P 00
-Taxa de Ocupação de Outros Imóveis

Receitas diversas

-Receita de Concessões e Permissões
-Receita de Concessões e Permissões – Serviços
-Receita de Concessões e Permissões – Serviços de Transporte
-Receita de Outorga dos Serviços de Transporte Ferroviário
-Receita de Outorga dos Serviços de Transportes Rodoviário Interestadual e Internacional de Passageiros
-Receita de Outorga dos Serviços de Transporte Metroviário de Passageiros
-Receita de Outorga dos Serviços de Transporte Marítimo de Passageiros Outras Receitas de Concessões e Permissões – –Serviços de Transporte P Receita de Concessões e Permissões – Serviços de Comunicação
-Receita de Outorga dos Serviços de Telecomunicações
-Receita de Outorga dos Serviços de Radiodifusão Sonora e de Sons e Imagens
-Receita de Outorga do Direito de Uso de Radiofrequência
-Receita de Transferência de Concessão, de Permissão ou de Autorização de Telecomunicações ou de Uso de Radiofrequência
-Receita de Transferência de Concessão, de Permissão ou de Autorização de Rodovias
ou de Obras Rodoviárias Federais
-Receita de Outorga para a Utilização de Posições Orbitais
-Receita de Outorga de Licenças e Autorizações da Agência Espacial Brasileira
-Receitas de Concessões e Permissões – Serviços de Comunicação
-Receita de Outorga para Exploração dos Serviços de Energia Elétrica P Outras Receitas de Concessões e Permissões – Serviços
-Receita de Concessões e Permissões – Exploração de Recursos Naturais
-Receita de Outorga dos Serviços de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural
-Bônus de Assinatura de Contrato de Concessão
-Pagamento pela Retenção de Área para Exploração ou Produção
-Receita de Outorga de Direitos de Uso de Recursos Hídricos
-Receita de Outorga de Direitos de Exploração e Pesquisa Mineral
-Receita de Concessão Florestal
-Receita de Concessão de Florestas Nacionais – Valor Mínimo
-Receita de Concessão de Florestas Nacionais – Demais Valores
-Receita de Outras Concessões Florestais – Valor Mínimo
-Receita de Outras Concessões Florestais – Demais Valores
-Receita de Custos de Edital de Concessão Florestal
-Receita de Contratos de Transição de Concessão Florestal
-Outras Receitas de Concessões e Permissões – Recursos Naturais
-Receita de Concessões e Permissões – Direitos de Uso de Bens Públicos
-Receita de Concessão de Direito Real de Uso de Área Pública
-Receita de Outorga de Direito de Uso ou de Exploração de Criação Protegida – Instituição Científica e Tecnológica
-Receita de Concessão de Uso do Potencial de Energia Hidráulica
-Receita da Permissão de Uso de Área da União Curta Duração
-Receita da Cessão de Uso de Bens da União
-Outras Receitas de Concessões e Permissões
– Direitos de Uso de Bens Públicos P 50
-Outras Receitas de Concessões e Permissões
-Compensações Financeiras
-Utilização de Recursos Hídricos – Itaipu
-Utilização de Recursos Hídricos – Demais Empresas
-Exploração de Recursos Minerais
-Royalties pela Produção de Petróleo ou Gás Natural – em Terra
-Royalties pela Produção de Petróleo ou Gás Natural – em Plataforma P Royalties Excedentes pela Produção de Petróleo -ou Gás Natural – em Terra
-Royalties Excedentes pela Produção de Petróleo ou Gás Natural – em Plataforma
-Participação Especial pela Produção de Petróleo ou Gás Natural
-Outras Receitas Patrimoniais

Postado por Luiz Queiroz em Blog Capital Digital

com alterações no texto inicial.


A Arca de Noé hoje em dia

enviado pelo amigo Silvio L.
Um dia, o Senhor chamou Noé que morava em Porto Alegre e ordenou-lhe:

– Dentro de 6 meses, farei chover ininterruptamente durante 40 dias e 40 noites, até que o Brasil seja coberto pelas águas.

Os maus serão destruídos,
mas quero salvar os justos e um casal de cada espécie animal.

Vai e constrói uma arca de madeira.
No tempo certo, os trovões deram o aviso e os relâmpagos cruzaram o céu.
Noé chorava, ajoelhado no quintal de sua casa,
quando ouviu a voz do Senhor soar furiosa, entre as nuvens:
Onde está a arca, Noé?
Perdoe-me, Senhor suplicou o homem.

Fiz o que pude, mas encontrei dificuldades imensas:
Primeiro tentei obter uma licença da Prefeitura ,
mas para isto, além das altas taxas para obter o alvará,
me pediram ainda uma contribuição para a campanha para eleição do prefeito.
Precisando de dinheiro, fui aos bancos e não consegui
empréstimo, mesmo aceitando aquelas taxas de juros …

O Corpo de Bombeiros
exigiu um sistema de prevenção de incêndio, mas consegui contornar, subornando um funcionário.
Começaram então os problemas com o IBAMA e a
FEPAM para a extração da madeira.

Eu disse que eram ordens SUAS, mas eles só queriam saber se eu tinha um “Projeto de Reflorestamento ” e um tal de
“Plano de Remanejamento”.

Neste meio tempo ELES descobriram também uns casais de
animais guardados em meu quintal.
Além da pesada multa, o fiscal falou em “Prisão Inafiançável ” e eu acabei tendo que matar o fiscal, porque,
para este crime, a lei é mais branda.

Quando resolvi começar a obra, na raça,apareceu o CREA e me multou porque eu não tinha um Engenheiro Naval
responsável pela construção.

Depois apareceu o Sindicato exigindo que eu contratasse seus marceneiros com garantia de emprego por um ano.
Veio em seguida a Receita Federal , falando
em ” sinais exteriores de riqueza ” e também me multou.

Finalmente, quando a Secretaria de Municipal do Meio Ambiente pediu o ” Relatório de Impacto Ambiental ” sobre a zona a ser inundada, mostrei o mapa do Brasil.
Aí, quiseram me internar num Hospital Psiquiátrico!

Sorte que o INSS estava de greve…
Noé terminou o relato chorando, mas notou que o céu clareava perguntou:
Senhor, então, não irás mais destruir o Brasil?
Não! – respondeu a Voz entre as nuvens
– Pelo que ouvi de ti, Noé,
cheguei tarde!
O governo já se encarregou de fazer isso.
!

Dar comprimido ao gato…tente!

Possibilidades para dar comprimido a um gato.

01. Pegue o gato e coloque-o em seu braço esquerdo como se estivesse segurando um bebê. Posicione o dedo indicador e o polegar da mão esquerda em cada canto da boca do gato. Pressione levemente para que ele abra a boca. Tão logo isto aconteça, coloque o comprimido em sua boca. Permita que o gato feche a boca e engula a pílula.

02. Pegue a pílula do chão e o gato detrás do sofá. Encaixe-o no seu braço esquerdo e repita o processo.

03. Apanhe o gato no quarto e jogue fora o comprimido encharcado.

04. Pegue um novo comprimido, coloque o gato em seu braço esquerdo e segure as patas traseiras com a sua mão esquerda. Force-o a abrir a boca e empurre o comprimido até a garganta com o indicador. Feche a sua boca imediatamente e conte até 10 antes de soltá-lo.

05. Apanhe o comprimido de dentro do aquário e o gato de cima do guarda-roupa. Peça ajuda a um amigo.

06. Ajoelhe-se no chão com o gato preso firmemente entre os joelhos, segurando suas quatro patas. Ignore os grunhidos emitidos pelo gato. Peça ao amigo que segure com força a cabeça dele enquanto você abre a boca. Coloque uma espátula de madeira o mais fundo que puder. Deixe o comprimido escorregar pela espátula e esfregue a garganta vigorosamente.

07. Apanhe o gato que está grudado no trilho da cortina e pegue outro comprimido. Lembre-se de comprar uma nova espátula e remendar a cortina. Cuidadosamente enrole o gato numa toalha de modo que apenas sua cabeça fique de fora. Peça para o amigo mantê-lo assim. Dissolva o comprimido em um pouco de água, abra a boca do gato com o auxílio de um lápis e despeje o líquido em sua boca.

08. Veja na bula do remédio se ele é nocivo para seres humanos. Beba um pouco de água para se acalmar. Faça um curativo no braço do amigo e limpe o sangue do tapete com água morna e sabão.

09. Busque o gato no vizinho. Pegue um novo comprimido. Bote o gato dentro do armário da cozinha e feche a porta, mantendo a cabeça do gato para o lado de fora. Abra a boca com o auxílio de uma colher de sobremesa. Jogue o comprimido para dentro da boca com o auxílio de um estilingue.

10. Vá até a garagem e apanhe uma chave de fenda para colocar a porta do armário no lugar. Coloque uma compressa fria nos arranhões do seu rosto e cheque quando tomou pela última vez a vacina antitetânica. Jogue a camiseta fora e apanhe outra em seu quarto.

11. Chame o corpo de bombeiros para apanhar o gato do alto da árvore do outro lado da rua. Peça desculpas ao vizinho que se machucou tentando desviar-se do gato. Pegue o último comprimido do frasco.

12. Amarre as patas dianteiras nas traseiras com uma corda do varal e prenda o gato no pé da mesa de jantar. Coloque luvas de jardinagem. Abra a boca do gato com uma pequena chave inglesa. Coloque o comprimido seguido de um pedaço de filé mignon. Segure a cabeça dele na vertical e derrame meio copo d’água para ajudá-lo a engolir o comprimido.

13. Peça ao seu amigo para levá-lo ao pronto socorro mais próximo. Sente-se tranqüilamente enquanto o médico sutura seus dedos e braços e remove partes do comprimido que ficaram encravadas no seu olho direito. Pare na primeira loja de móveis no caminho de casa e encomende uma nova mesa de jantar.

14. Procure um veterinário que faça atendimento a domicílio.