O mar sem plástico! solução à vista! !(com legendas) Brilliant Boyan Slat: no plastic in the Ocean!

Enquanto no Brasil, a juventude aplaude o quadradinho de 8 como genial, na Holanda um jovem acha a solução para a limpeza dos oceanos para o problema do plástico flutuante. Brilliant idea from a Holland young Man: a way to clean from plastic all the ocean in 5 years. See the entire video below:

Estudante de 19 Anos Cria Uma Máquina que é Capaz de Limpar Todo o Plástico dos Oceanos em 5 Anos.

Boyan Slat, holandês e estudante de engenharia, desenvolveu o projeto de uma máquina que seria capaz de retirar mais de 7 milhões de toneladas de plástico dos oceanos.

O invento se chama Ocean Cleanup Array, e se trata de uma estrutura que se comporta como um gigantesco filtro. Ela seria posicionada em pontos estratégicos dos oceanos, onde há maior concentração de lixo, e seria capaz de recolher todo o material flutuante. Após isso uma equipe recolheria o OCA e separaria a vida marinha do plástico. Como o lixo recolhido ainda fica em contato com a água, a fauna oceânica ficaria segura, mesmo sendo recolhida. O plástico “limpo” restante seria encaminhado a reciclagem.

De acordo com Boyan, seu invento seria capaz de limpar os oceanos em um período de 5 anos, tornando os mares completamente livres dos plásticos flutuantes e eliminando a ilha de lixo presente no Oceano Pacífico.

O jovem ganhou seu primeiro prêmio aos 14 anos, Melhor Ideia do Sul da Holanda, e entrou para o livro dos recordes.


Anúncios

O cogumelo que come plástico!! A mushroom that eats plastic!

Pesquisadores da Universidade de Yale descobriram recentemente um cogumelo nas selvas do Equador, que  consomem  poliuretano, um tipo muito comum de plástico.

Veja mais sobre esse fungo surpreendente:

Os fungos, chamados de “Pestalotiopsis micrósporo”, é capaz de sobreviver consumindo apenas plástico, o sem a necessidade de ar ou luz.

Os estudantes Jonathan Russell e Pria Anand escreveram na revista ‘Applied and Environmental Microbiology ” que a enzima do fungo usa para se decompor plástico foi isolado.
Os cientistas esperam usar a substância extraída para resolver problema do excesso do lixo plástico e ajudar os projetos de biorremediação.

Finalmente uma forma criativa e natural para ajudar a resolver o nosso problema do lixo global.

Researchers from Yale University recently discovered a mushroom in the jungles of Ecuador that is most magical indeed, for this little fungus dines on polyurethane, a very common type of plastic.

Here’s more on this amazing fungus:

The fungi, called “Pestalotiopsis microspore”, is able to survive on eating plastic alone—while without the need for air or light.

Students Jonathan Russell and Pria Anand have written in the journal ‘Applied and Environmental Microbiology’, that the enzyme the fungus uses to decompose plastic has been isolated.

Scientists hope to use the extracted chemical to solve the plastic trash and help bioremediation projects.

Now that’s a creative way to help solve our global waste problem !

Link

O carnaval que ninguém vê…/ submarine garbage in Bahia

matéria enviada por e-mail pelo amigo Marcelo A.M.

A seguir o relato de Bernardo Mussi que resolveu mergulhar na época do carnaval e mostrar o que acontece com o mar durante o período …a seguir o relato:

“Dez dias após o carnaval, resolvi mergulhar com dois amigos na área do Farol da Barra para confirmar a notícia de que havia uma quantidade absurda de lixo espalhada pelo fundo do mar naquela área.

Mesmo com a água um pouco suja por causa das chuvas do dia anterior, logo identificamos o local. Na verdade o lixo não estava espalhado, mas concentrado em um canal provavelmente em razão do movimento das marés. Uma cena lamentável! Eram pelo menos mil e quinhentas latinhas metálicas e garrafas plásticas.


Da superfície o visual parecia com as imagens áreas que vemos dos blocos de carnaval durante a festa momesca. Só que ao invés de estarem pulando, dançando e se beijando ao som frenético e ensurdecedor dos trios elétricos, os foliões do fundo do mar estavam rolando de um lado para o outro numa mórbida coreografia, empurrados silenciosamente pelo balanço do mar, sem dança, sem alegria, sem vida e sem poesia.

Fomos então, no terceiro dia após o primeiro mergulho, retirar o material. Antes, porém, fiz questão de chamar um amigo que tem uma caixa estanque para filmarmos a ação e guardarmos o documentário visando trabalhos futuros e até mesmo a matéria que queríamos na TV.

Sem cilindro de ar e contando apenas com duas pranchas de SUP (Stand Up Paddle) e alguns sacos grandes, éramos quatro mergulhadores ousados retirando do fundo do mar tudo o que podíamos naquela tarde.

Pouco antes de o sol se pôr conseguimos finalmente colocar todo o lixo na calçada.
Muitos curiosos, inclusive turistas, olhavam intrigados a nossa atitude e a todo o instante nos questionavam sobre a origem daquele resíduo. A resposta estava na ponta da língua: Carnaval!
Aproveito o embalo para incluir indignação semelhante sobre os eventos realizados na praia do Porto da Barra durante o verão.

O “Música no Porto” e o “Espicha Verão” não tem trazido nada de bom para nossa cidade, além da oportunidade de vermos ótimos artistas de perto e de graça. De resto, o lixo, o mau cheiro, a degradação ambiental, o xixi pelas ruas, a impressionante quantidade de ambulantes amontoados por todos os espaços públicos e a agressão aos patrimônios históricos, são um grande “pé na bunda” do turista de qualidade.
É o mesmo que olhar para uma bela maçã com a casca brilhante e aspecto suculento, porém, apodrecida por dentro…
Naquele final de tarde acabamos contemplando um por do sol diferente. O monte de lixo empilhado na calçada do Farol da Barra virou atração. E como Deus é grande, fomos brindados com a presença de valorosos catadores de rua para finalizar a limpeza

O fundo do mar não merece aquele bloco reluzente e, ao contrário do asfalto, o oceano costuma revidar violentamente as agressões sofridas.

Não tem alegria alguma no fundo da folia!”
Fotos: Francisco Pedro / Projeto Lixo Marinho – Global Garbage Brasilfrancisco.pedro@globalgarbage.org
Fotos do Espicha Verão 2010: João Ramos / Bahiatursa e Luciano da Matta / Agência A Tarde
Nota:A matéria O fundo da folia foi publicada no dia 05 de março. No dia 15 de março, nós substituímos as fotos do Espicha Verão 2010. As fotos atuais (Bahiatursa e Agência A Tarde) foram feitas no dia 13 de março, encerramento do Espicha Verão 2010. A campanha pela preservação do meio ambiente, coordenada pelo IMA – Instituto de Meio Ambiente do Estado da Bahia, só foi realizada no dia do fechamento (13 de março) do Espicha Verão 2010.
Link: http://www.globalgarbage.org/blog/index.php/2010/03/05/o-fundo-da-folia/
Link para Twitter: http://bit.ly/c0OvJq

Centro da cidade -Centrum-Downtown


Advertising Agency: Saatchi & Saatchi, Brussels, Belgium

Litter belongs in the trash bin, and nowhere else.
Fost Plus is a governmental organisation occupied with recycling waste in Belgium.

Problema de toda cidade grande…médias e pequenas também.”Lixo pertence à lata de
lixo não aos lugares próximos”.