Até carroça esta usando o tal de GPS…

Enviado pelo amigo Silvio L.
Num pequeno vilarejo na Rússia, uma empresa chamada EFIX fez uma promoção e até as carroças do lugar modernizaram-se…O vídeo mostra que o GPS,sensor de estacionamento e som de última geração podem ser popularizados e ser equipamentos de grande utilidade para a população.Veja o video…

Seu Pendrive tem Blutufe?

Enviado por e-mail pelo amigo Rogério P. lá de Xiamen na China!


Seu Pendrive tem Blutufe?
Estorinha bem bolada, mostrando a rapidez da modernidade, difícil, quase impossível, para os  maduros acompanharem! Não deixe de ler!
Oswaldo tirou o papel do bolso, conferiu a anotação e perguntou à balconista:
­
Moça, vocês têm pendrive?
Temos, sim.
­ O que é pendrive? Pode me esclarecer? Meu filho me pediu para comprar um…
Bom, pendrive é um aparelho em que o senhor salva tudo o que tem no computador.
­ Ah, é como um disquete…
Não. No pendrive o senhor pode salvar textos, imagens e filmes.
O disquete, que nem existe mais, só salva texto.
­ Ah, tá bom. Vou querer…
Quantos gigas?
­ Hein?…
De quantos gigas o senhor quer o seu pendrive?
­ O que é giga?
É o tamanho do pen…
­ Ah, tá. Eu queria um pequeno, que dê para levar no bolso sem fazer muito volume…
Todos são pequenos, senhor. O tamanho, aí, é a quantidade de coisas que ele pode arquivar.
­ Ah, bom. E quantos tamanhos têm?
Dois, quatro, oito, dezesseis gigas…
­ Hummm, meu filho não falou quantos gigas queria…
Neste caso, o melhor é levar o maior.
­ Sim, eu acho que sim. Quanto custa?
Bem, o preço varia conforme o tamanho. A sua entrada é USB?
­ Como?…
É que para acoplar o pen no computador, tem que ter uma entrada compatível.
­ USB não é a potência do ar condicionado?
Não, aquilo é BTU…
­ Ah! É isso mesmo. Confundi as iniciais. Bom, sei lá se a minha entrada é USB…
USB é assim ó: com dentinhos que se encaixam nos buraquinhos do computador.
O outro tipo é este, o P2, mais tradicional, o senhor só tem que enfiar o pino no buraco redondo.
O seu computador é novo ou velho? Se for novo é USB, se for velho é P2.
­ Acho que o meu tem uns dois anos. O anterior ainda era com disquete. Lembra do disquete? Quadradinho, preto, fácil de carregar, quase não tinha peso. O meu
primeiro computador funcionava com aqueles disquetes do tipo bolacha, grandões e quadrados. Era bem mais simples, não acha?
Os de hoje nem têm mais entrada para disquete. Ou é CD ou pendrive.
­ Que coisa! Bem, não sei o que fazer. Acho melhor perguntar ao meu filho.
Quem sabe o senhor liga pra ele?
­ Bem que eu gostaria, mas meu celular é novo,
tem tanta coisa nele que ainda nem aprendi a discar…
Deixa eu ver… Pôxa, um Smartphone! Este é bom mesmo! Tem Bluetooth, woofle, brufle, trifle, banda larga, teclado touchpad, câmera fotográfica, flash, filmadora, radio AM/FM, TV digital, dá pra mandar e receber e-mail, torpedo direcional, micro-ondas e conexão wireless…
­ Blu… Blu… Blutufe? E micro-ondas? Dá prá cozinhar com ele?
Não senhor. Assim o senhor me faz rir. É que ele funciona no sub-padrão,
por isso é muito mais rápido.
­ Pra que serve esse tal de blutufe?
É para um celular comunicar com outro, sem fio.
­ Que maravilha! Essa é uma grande novidade! Mas os celulares já não se comunicam com os outros sem usar fio? Nunca precisei fio para ligar para outro celular. Fio em celular, que eu saiba, é apenas para carregar a bateria…
Não, já vi que o senhor não entende nada, mesmo. Com o Bluetooth o senhor passa os dados do seu celular para outro, sem usar fio. Lista de telefones, por exemplo…
­ Ah, e antes precisava fio?
Não, tinha que trocar o chip…
­ Hein? Ah, sim, o chip. E hoje não precisa mais chip…
Precisa, sim, mas o Bluetooth é bem melhor.
­ Legal esse negócio do chip. O meu celular tem chip?
Momentinho… Deixa eu ver… Sim, tem chip.
­ E faço o quê, com o chip?
Se o senhor quiser trocar de operadora, portabilidade, o senhor sabe…
­ Sei, sim, portabilidade, não é? Claro que sei. Não ia saber uma coisa dessas, tão simples? Imagino, então que para ligar tudo isso, no meu celular, depois de fazer um curso de dois meses, eu só preciso clicar nuns duzentos botões…
Nããão! É tudo muito simples, o senhor logo apreende. Quer ligar para o seu filho? Anote aqui o número dele. Isso. Agora é só teclar um momentinho, e apertar no botão verde… pronto, está chamando…
Oswaldo segura o celular com a ponta dos dedos, temendo ser levado pelos ares,
para um outro planeta:
Oi filhão, é o papai. Sim. Me diz, filho, o seu pen drive é de quantos… Como é mesmo o nome? Ah, obrigado, quantos gigas? Quatro gigas está bom? Ótimo. E tem outra coisa, o que era mesmo? Nossa conexão é USB? É? Que loucura. Então tá, filho, papai está comprando o teu pen drive. De noite eu levo para casa, tchau…
Que idade tem seu filho?
­ Vai fazer dez em março…
Que gracinha…
­ É isso moça, vou levar um de quatro gigas, com conexão USB.
Certo, senhor. Quer para presente?
Mais tarde, no escritório, examinou o pendrive, um minúsculo objeto, menor do que um isqueiro, capaz de gravar filmes! Onde iremos parar? Olha, com receio, para o celular sobre a mesa. “Máquina infernal”, pensa. Tudo o que ele quer é um telefone, para discar e receber chamadas. E tem, nas mãos, um equipamento sofisticado, tão complexo que ninguém que não seja especialista ou tenha a infelicidade de ter mais de quarenta, saberá compreender.
Em casa, ele entrega o pen drive ao filho e pede para ver como funciona. O garoto insere o aparelho e na tela abre-se uma janela. Em seguida, com o mouse, abre uma página da internet, em inglês.
Seleciona umas palavras e um ‘havy metal’ infernal invade o quarto e os ouvidos de Oswaldo.
Um outro clique e, quando a música termina, o garoto diz:
Pronto, pai, baixei a música. Agora eu levo o pendrive para qualquer lugar e onde tiver uma entrada USB eu posso ouvir a música. No meu celular, por exemplo…
­ Teu celular tem entrada USB?
É lógico. O teu também tem…
­ É? Quer dizer que eu posso gravar músicas num pen drive e ouvir pelo celular?
Se o senhor não quiser baixar direto da internet…
Naquela noite, antes de dormir, deu um beijo em Clarinha e disse:
­ Sabe que eu tenho Blutufe?
Como é que é?
­ Bluetufe. Não vai me dizer que não sabe o que é?
Não enche, Oswaldo, deixa eu dormir…
­ Meu bem, lembra como era boa a vida, quando telefone era telefone, gravador era gravador, toca-discos tocava discos e a gente só tinha que apertar um botão para as coisas funcionarem?
Claro que lembro, Oswaldo. Hoje é bem melhor, né?
Várias coisas numa só, até Bluetufe você tem. E conexão USB também…
Que ótimo, Oswaldo, meus parabéns…
­ Clarinha, com tanta tecnologia a gente envelhece cada vez mais rápido.
Fico doente de pensar em quanta coisa existe, por aí, que nunca vou usar.
Ué? Por quê?
­ Porque eu recém tinha aprendido a usar computador e celular e tudo o que sei já está superado. Por falar nisso temos que trocar nossa televisão…
­ Ué? A nossa estragou?
Não. Mas a nossa não tem HD, tecla SAP, slowmotion e reset.
­ Tudo isso?…
Tudo.
­ A nova vai ter blutufe? Boa noite, Oswaldo, vai dormir que eu não agüento mais…
(O autor é desconhecido, mas pode ser algum de nós,
ou alguém que nasceu nos anos 40, 50, 60,70, 80, até nos 90…).

Flagrantes da vida real.Nice moments to see and enjoy…



Ad -Propaganda






A vida é como esta escada.A cada dia um degrau vencido…Não precisa e nem devemos
ter pressa de chegar no topo.O importante ao chegar é olhar para trás e sentir o
dever cumprido e é claro” aproveitar a paisagem”.

Life is hard but still you can have good moments to “enjoy the view”.

 

Bate-bate nas ruas da China…não pode?
perguntou o “motorista”
Why not,ask the “driver”

Tenho uma ideia : vamos escapar pelo vaso…



Alguém aqui gosta de verde.
Someone here likes “green”





ARTE -ART



Frio-Cold



Preparando para o casório…
almost ready for the wedding




Loja verde…melhor escrever em Chinês
Maybe in chinese language it will be correct.





Alguém explica a vaquinha lá em cima…
How?




Hobby.



O tempo e as estrelas do Rock -Time and Rock Stars

Sting James Hetfield, Mettalica


Ron Woods, The Rolling Stones

Charlie Watts, The Rolling Stones


Slash, Gun N’ Roses
Robert Plant, Led Zeppelin David Bowie
Rod Stewart

David Lee Roth
Bob Dylan

Ozzy Ousborne Johnny Rotten, Sex Pistols
Steven Tyler, Aerosmith
Keith Richards, The Rolling Stones
Mick Jaegger, Rolling Stones
Bruce Dickinson, Iron Maiden
Neil Young
Bono, U2
Axl Rose, Gun N’ Roses
Jon Bon Jovi

Qualidade de Vida ? Quality of life?

“mas nós não pedimos anchovas! “

“Delivery”,ou , serviços de entrega,era coisa de pizzaria, botequim ou lanchonete.
Hoje, nas grandes metrópoles do mundo quase todos os restaurantes,
não mais se recusam a entregar seus pratos em domicílio.
Até mesmo um McDonald´s que proclamava ser uma heresia
mandar entregar seus sanduíches,
afirmando que depois de alguns minutos, os já prontos e
não consumidos nas lojas eram arremessados ao lixo porque
perdiam suas características básicas, hoje possui um batalhão
de entregadores, cruzando essas cidades, permanentemente.
Só que a situação está se agravando .Segundo pesquisa realizada
nos Estados Unidos pela Associação Nacional dos Restaurantes,
nas grandes metrópoles daquele país, constatou-se que mais de 40%
dos executivos não se levantam mais de seus espaços de trabalho
para almoçar.
Mandam vir algum tipo de alimentação e comem entre canetas,
papéis e computadores.
Nos raros dias em que saem de seus escritórios, é para aproveitar
a hora do almoço para algumas compras ou outras providências
que não têm como realizar em outro momento.
Já quase 3% dos entrevistados foram incapazes de se lembrar
quando tinham almoçado de verdade, pela última vez. E muitos
deles fazem o café da manhã, o almoço e o jantar (até mesmo o
lanche da madrugada) sem sair de suas mesas…
A pesquisa mostrou que aqueles que ainda conseguem sair para
almoçar, reduziram o tempo de almoço das antigas duas horas,
para no máximo uma. E os que comem lanches, já se revelam im-
pacientes após quinze minutos.Muitos cogitam instalar microondas
em seus automóveis…
Em algum momento no futuro, ainda a tecnoligia conseguirá demonstrar
que verdadeiramente nos trouxe mais qualidade de vida…

Delivery sevices used to be only for scond-class pizzerias, bars or coffee shops. Today, in the major cities of the world, almost all restaurants -no longer refuse to deliver their dishes to their clients homes or offices.
Even McDonald´s used to declare that it was heresy to deliver its sandwiches , saying that those
that were not consumed within a few minutes of their preparation were simply thrown away because theylost their basic characteristics . Today they have a whole army of delivery boys permanentlycruising the city.
But things are going worse. According to a survey carried out in the United States by the National Restaurant Assosiation, over 40% of all executives in the major cities of that country no longer leave their workplace to have lunch.
They order something and eat it surrounded by pens, papers and computers. On those rare occasions that they leave their offices during launchtime, they do so only in order to do some sho
pping or run errands for which they would otherwise not have time.
Almost 3% of those interviewed could not remember when the last time was that they had really sat down and had lunch.Many of them have breakfast, lunch, dinner and even their midnight snack without leaving their desks… The survey also revealed that those who still manage to go out for lunch have reduced their lunchtime from the former two hours to just one hour, at most.
And those who eat fast food already vecome restless after fifteen minutes. Many of them have
even considered getting a microwave oven installed in their cars.
Perhaps someday it will be proven how technology has truly added more quality to our lives…

texto por – text by francisco Alberto Madia de Souza