Aves sabem abrir portas com sensores…birds know how to use automatic doors

A evolução ocorre lenta e vagarosamente.

Anúncios

O burro "casca-dura"

Um dia, o burro de um camponês caiu num poço. 
Não chegou a se ferir, mas não podia sair dali por conta própria. 
Por isso o animal chorou fortemente durante horas, enquanto 
o camponês pensava no que fazer.

















Finalmente, o camponês tomou uma decisão cruel: 
concluiu que já que o burro estava muito velho e que o poço 
estava mesmo seco, precisaria ser tapado de alguma forma. 
Portanto, não valia a pena se esforçar para tirar o burro de dentro 
do poço. Ao contrário, chamou seus vizinhos para ajudá-lo a enterrar 
vivo o burro. Cada um deles pegou uma pá e começou a jogar terra dentro 
do poço.

O burro não tardou a se dar conta do que estavam fazendo com ele 
e chorou desesperadamente. Porém, para surpresa de todos, o burro 
aquietou-se depois de umas quantas pás de terra que levou.

O camponês finalmente olhou para o fundo do poço e se surpreendeu 
com o que viu.

A cada pá de terra que caía sobre suas costas o burro a sacudia, dando 
um passo sobre esta mesma terra que caía ao chão. Assim, em pouco tempo, 
todos viram como o burro conseguiu chegar até a boca do poço, passar por cima 
da borda e sair dali trotando.

A vida vai te jogar muita terra nas costas. Principalmente se você já estiver dentro de 
um poço. O segredo para sair do poço é sacudir a terra que se leva nas costas e dar 
um passo sobre ela. Cada um de nossos problemas é um degrau que nos conduz para 
cima.

Podemos sair dos mais profundos buracos se não nos dermos por vencidos. Use a terra 
que te jogam para seguir adiante!

Recorde-se das 5 regras para ser feliz:

Liberte o seu coração do ódio.
Liberte a sua mente das preocupações.
Simplifique a sua vida.
Dê mais e espere menos.


Ame-se mais e…aceite a terra que lhe jogam. 
Ela pode ser a solução, não o problema.

Uma glândula misteriosa no nosso cérebro !

A glândula pineal,diminuta e complexa, antigamente chamada de epífise, secreta a melatonina, que tem efeito descolo- rante sobre a pele. Desprezada por muitos anos, tendo sido considerada resquício embriológico, relaciona-se com outras glândulas como a hipófise, tireóide, gônadas e pâncreas. Tem relações estabelecidas com a cronobiologia, ou seja, com o sincronismo dos sistemas orgânicos relacionados com o corpo com o tempo e com o universo. Existe uma relação entre a pineal e o chakra coronário. É através da pineal que o homem conecta-se com o plano espiritual. É o filtro das energias do Espiríto. Os seres humanos têm o que tem sido chamado de um olho vestigial (sem uso) em seus cérebros. Este olho tem uma estrutura semelhante aos nossos olhos externos, com os tecidos da retina e sensível à luz.

Este olho, conhecida como a glândula pineal ou corpo pineal, tem sido muito discutido na filosofia e medicina. Aqui está um estudo e explicações sobre o papel desempenhado por este “olho” em seu cérebro a partir de sua função como um “terceiro olho”, que pode perceber as coisas que não podemos ver com nossos olhos externos e o seu papel na produção de melatonina além de muito mais. No segundo século, o proeminente médico grego Galeno de Pérgamo foi o primeiro a descrever a glândula pineal. Ele disse que, como outras glândulas, a sua função era apoiar os vasos sanguíneos.

Ele descartou o pensamento predominante de sua época, que ele descreveu: Alguns pensaram que o corpo pineal regulava a passagem do pneuma psíquico (um material imaginado para ser o veículo de sensação) da mesma forma como o esôfago regula a circulação de alimentos para o estômago. Esta visão de Galen permaneceu praticamente sem contestação por muitos séculos. O corpo pineal desempenhou um papel importante para o famoso do século 17 o filósofo francês René Descartes. Descartes viu-o como a origem do pensamento. Disse que é a única parte do cérebro que é única, não repetida dentro da massa cerebral. Ele disse que deve, assim, ser o lugar onde toda a informação é centralizada, um lugar em que a nossa consciência pode processar informações em um único local, e da qual nossa consciência pode enviar todas as mensagens para o resto do cérebro e do corpo. “Uma vez que é a única parte sólida em todo o cérebro e sendo único, deve necessariamente ser a sede do senso comum, isto é, do pensamento”, ele escreveu, de acordo com a Stanford Encyclopedia of Philosophy . Sua compreensão da exata localização do corpo pineal, no cérebro estava errada, mas a descrição de Descartes de sua natureza excepcionalmente singular foi correta. Esta opinião foi ecoada por muitas disciplinas espirituais. Em algumas filosofias orientais, o corpo pineal se alinha com a localização do chakra coronário, um ponto-chave para a consciência de alto nível e iluminação, ou a compreensão dos reinos mais elevados. Muitos têm associado o corpo pineal com o terceiro olho conhecido por religiões e práticas espirituais durante milênios. Em um livro autobiográfico escrito pelo lama tibetano Lobsang Rampa que na década de 1950, intitulado “O Terceiro Olho”, Rampa descreve como seu terceiro olho foi aberto cirurgicamente pelos praticantes de uma ciência esotérica tibetana. Os editores ao escrever o prefácio para este livro com a transcrição de quase vinte especialistas,resultou que “Suas opiniões eram tão contraditórios que nenhum resultado positivo emergiu. Alguns questionaram a precisão de uma seção, alguns de outra parte, o que foi posta em questionamento por um perito foi aceito sem questionamentos por outro “. Eles escrevem: “Podemos sentir que, aqui e ali, ele ultrapassa os limites da credulidade ocidental, embora visões ocidentais sobre o assunto aqui tratado dificilmente pode ser decisivo.” As editoras continuam: “Lobsang Rampa forneceu provas documentais de que ele é formado de Medicina da Universidade de Chungking e nos documentos que ele é descrito como um Lama do Mosteiro de Potala de Lhasa. As muitas conversas pessoais que tivemos com ele provaram que ele seja um homem de poderes e realizações incomuns. ” Rampa descreve como a cirurgia foi realizada no local acima da ponte de seu nariz, onde a passagem para o terceiro olho, ou corpo pineal, for considerada. Depois da cirurgia portanto, ele obteve habilidades especiais de percepção que não tinha antes. Na década de 1950, os cientistas descobriram que o corpo pineal, antes pensado para ser vestigial, tem uma função perceptível. Ele percebe a luz e produz melatonina. A melatonina é uma substância que influencia reprodução e o sistema imunitário e é também um anti-oxidante, o que significa que pode ser eficaz na luta contra o cancro e reduzir os efeitos do envelhecimento. O corpo pineal produz melatonina num ambiente de luz e impede a produção de melatonina em um ambiente escuro. Alguns têm ligado à função do corpo pineal, a este respeito para o entendimento do corpo pineal, como um centro de controle no cérebro. Processa informação externa e controla os ritmos importantes no corpo. Tal como acontece com muitas partes do cérebro humano, o conhecimento definitivo da glândula pineal ainda esta em fase inicial.

A bomba pública de abastecimento solar:Veja!

A bomba de abastecimento solar combina o design de um antigo posto de gasolina com a moderna tecnologia da energia solar.Serve para carregar mais de 4 “bicicletas elétricas e inúmeros laptops e telefones celulares,além de iluminar com luz de LEDS o entorno do local e cadeiras (recicladas de antigos sinais de trânsito) daqueles que aguardam no local até o final do carregamento.Tudo gratuito e limpo.

The SolarPump combines the adaptive reuse of an American car culture symbol (a 1950’s Citgo gas pump), with an interactive system harnessing solar energy to charge up to four electric bicycles and nearly unlimited laptops and cell phones, while LED lighting illuminates public seating crafted from recycled street signs.

Web site: soldesignlab.com
They are the genius behind this invent.

Amigo?um ganso que vale por 10 amigos…/ friend? geese is the best friend of him.

http://video.globo.com/Portal/videos/cda/player/player.swf

Para quem não assistiu na TV no Globo Repórter aqui o Ganso que faz coisas que a gente só acredita assistindo ao video.

This goose from the rural city of “Mariano Moura” in the State of Rio Grande do Sul is the best friend of the farmer Albino.The images speak for themselves and you need to see to believe.

Veja outros animais fora-de-série:
http://g1.globo.com/globo-reporter/

Lâmpadas e a inteligência (leia isto…vale a pena).

Enviado por e-mail pelo amigo Silvio L.

Lâmpadas e inteligências

As lâmpadas servem para iluminar. Para isso, são dotadas de potências de iluminação diferentes.
Há lâmpadas de 60 watts, de 100 watts, de 150 watts… Esse número em watts diz o poder de iluminação da lâmpada.

Também as inteligências servem para iluminar.

Nos gibis, o desenhista, para dizer que um personagem teve uma boa ideia, desenha uma lâmpada acesa sobre a sua cabeça.
As inteligências, à semelhança das lâmpadas, também têm potências de iluminação diferentes.

Os homens inventaram testes para medir a “wattagem” das inteligências.

Ao poder de iluminação das inteligências deram o nome de “QI”, coeficiente de inteligência.
As inteligências não são iguais. Pessoas a quem os testes inventados pelos homens atribuíram um QI 200, têm um poder muito grande para iluminar.
Alguns, para se gabar, chegam a mostrar sua carteirinha, dizendo que sua inteligência tem uma “wattagem” alta.
Mas, nós não olhamos para as lâmpadas. As lâmpadas não são para serem vistas. As lâmpadas valem pelas cenas que iluminam e não pelo brilho.
Olhar diretamente para a lâmpada ofusca a visão.
Há inteligências de “wattagem” 200 que só iluminam esgotos e cemitérios. E há inteligências modestas, como se fossem nada mais do que a chama de uma vela, que iluminam sorrisos.

Uma lâmpada não tem vontade própria. Ela ilumina o objeto que o seu dono escolhe para ser iluminado.
A inteligência, como as lâmpadas, não tem vontade própria. Ela ilumina os objetos que o coração do seu dono determina que sejam iluminados.

A inteligência de quem ama dinheiro ilumina dinheiro, a inteligência dos criminosos ilumina o crime, a inteligência dos artistas ilumina a beleza.
A inteligência é mandada. Só lhe compete obedecer.
* * *
As considerações luminosas de Rubem Alves nos fazem pensar um pouco a respeito de como estamos utilizando este grande instrumento que temos – a inteligência.
O que temos iluminado com ela? O que temos feito desta grande habilidade da qual dispomos?
Allan Kardec deixa claro que a inteligência nem sempre é penhor de moralidade, e o homem mais inteligente pode fazer um uso pernicioso das suas faculdades.
Assim, ter uma inteligência avantajada não significa ser um homem de bem, não significa ser uma alma evoluída.
É necessário que essa inteligência esteja sendo canalizada para o bem, para a civilização e aperfeiçoamento da Humanidade.
A mesma inteligência que desenvolve uma arma química pode desenvolver vacinas e remédios.
A mesma inteligência que manipula as leis e as pessoas em benefício próprio, pode ser a inteligência que auxilia, que defende os fracos e oprimidos.
A mesma inteligência das estratégias criminosas de usurpação do dinheiro público pode ser utilizada na reconstrução de cidades, na restituição da dignidade de povos abandonados por interesses materialistas.
Basta que a lâmpada ilumine o que deve iluminar, basta que façamos escolhas acertadas e demos ordens corretas à nossa inteligência.
A inteligência, como as lâmpadas, não tem vontade própria. Ela ilumina os objetos que o coração do seu dono determina que sejam iluminados.

Redação do Momento Espírita com base no texto Variações
sobre a inteligência, do livro “O sapo que queria ser
príncipe”, de Rubem Alves, ed. Planeta.
Em 28.08.2009.