Pense antes de comer : 20% !! Today 925 million people didn’t eat nothing !

Anúncios

O que têm dentro do McNuggets?(do brasileiro?) / McDonald’s ingredients…USA and UK…

Todos os nuggets McDonald’s não tem os mesmos ingredientes…

Os McNuggets dos E.U.A , não só contêm mais calorias e gordura
do que os seus homólogos britânicos, mas também mais os produtos
químicos
A rede de TV CNN investigou as diferenças depois de receber um
comentário no blog perguntando sobre o assunto.

O McNuggets dos EUA (190 calorias, 12 gramas de gordura, 2 gramas de gordura saturada por 4 peças) contém o TBHQ conservante químico, butylhydroquinone terciário, um produto à base de petróleo. Eles também contêm dimetilpolissiloxano , um “agente anti-espuma“, também

utilizados na fabricação de bolinhas de borracha.

Em contrapartida, oMcNuggets britânico (170 calorias, 9 gramas de gordura, 1 grama de gordura saturada por 4 peças) não tem nenhuma química entre seus ingredientes.

McDonald’s diz que as diferenças são baseadas no gosto local: Nos Estados Unidos, McNuggets são revestidos e, em seguida, cozido, no Reino Unido, elas são cozidas e depois revestidos. Como resultado, o McNuggets Britânico absorvam menos óleo e tem menos gordura.

“Você poderia achar que se olhar em qualquer dos nossos produtos alimentares essenciais veria pouco, as diferenças regionais”, diz Lisa McComb, que trata das relações de mídia global para o McDonald’s, que tem mais de 32.000 restaurantes em 117 países. “Nós fazemos o teste do gosto de todos os itens de nossa comida em uma base contínua”.

Marion Nestle, um professor da New York University e autor de “What to Eat”, diz que o butylhydroquinone terciário e dimetilpolissiloxano no McNuggets, provavelmente, não representam riscos para a saúde. Como regra geral, porém, ela defende a não comer qualquer alimento com um ingrediente que você não pode pronunciar.

Dimetilpolissiloxano é utilizado como uma questão de segurança para manter o óleo de espuma, McComb, diz. O produto químico é uma forma de silicone também usado em cosméticos e bolas de borracha. Uma revisão de estudos em animais pela Organização Mundial de Saúde não encontrou efeitos adversos para a saúde associados com dimetilpolissiloxano.

TBHQ é um preservativo para óleos vegetais e gorduras animais, limitados a 0,02 por cento do petróleo na pepita. Um grama (um trinta avos de uma onça) pode causar “náusea, vômitos, zumbido nos ouvidos, delírio, uma sensação de sufocamento e colapso”, segundo “A Consumer’s Dictionary of Food Additives”.

Em 2003, o McDonald’s lançou McNuggets menores, tudo à base de carne branca depois que um juiz federal assim determinou. Entre os ingredientes que permaneceram no McNuggets novo: TBHQ e dimetilpolissiloxano.

Christopher Kimball, o fundador e editor da revista Cook’s Illustrated , diz que os produtos químicos suspeitos são necessários para o Nuggets manter sua forma e textura após ser extrudado em moldes em forma de nugget.

“A regulamentação na Europa, em geral, em torno do alimento são muito mais rigorosos do que os E.U.A”, diz Kimball.

English language:

U.S. McNuggets not only contain more calories and fat than their British counterparts, but also chemicals not found across the Atlantic.

CNN investigated the differences after receiving a blog comment asking about them.

American McNuggets (190 calories, 12 grams of fat, 2 grams of saturated fat for 4 pieces) contain the chemical preservative TBHQ, tertiary butylhydroquinone, a petroleum-based product. They also contain dimethylpolysiloxane, “an anti-foaming agent” also used in Silly Putty.

By contrast, British McNuggets (170 calories, 9 grams of fat, 1 gram of saturated fat for 4 pieces) lists neither chemical among its ingredients.

“I would certainly choose the British nuggets over the American” says Ruth Winter, author of “A Consumer’s Dictionary of Food Additives.”

McDonald’s says the differences are based on the local tastes: In the United States, McNuggets are coated and then cooked, in the United Kingdom, they are cooked and then coated. As a result, the British McNuggets absorb less oil and have less fat.

“You would find that if you looked at any of our core food items. You’d see little, regional differences,” says Lisa McComb, who handles global media relations for McDonald’s, which has more than 32,000 restaurants in 117 countries. “We do taste testing of all our food items on an ongoing basis.”

One apparent difference is only a matter of labeling, according to McComb. U.K. McNuggets list ground celery and pepper, which are labeled simply as “spices” in the United States, she says.

Marion Nestle, a New York University professor and author of “What to Eat,” says the tertiary butylhydroquinone and dimethylpolysiloxane in the McNuggets probably pose no health risks. As a general rule, though, she advocates not eating any food with an ingredient you can’t pronounce.

Dimethylpolysiloxane is used as a matter of safety to keep the oil from foaming, McComb says. The chemical is a form of silicone also used in cosmetics and Silly Putty. A review of animal studies by The World Health Organization found no adverse health effects associated with dimethylpolysiloxane.

TBHQ is a preservative for vegetable oils and animal fats, limited to .02 percent of the oil in the nugget. One gram (one-thirtieth of an ounce) can cause “nausea, vomiting, ringing in the ears, delirium, a sense of suffocation, and collapse,” according to “A Consumer’s Dictionary of Food Additives.”

In 2003, McDonald’s launched smaller, all-white-meat McNuggets after a federal judge dubbed the food “a McFrankenstein creation of various elements not utilized by the home cook.” Among the ingredients that remained in the new McNuggets: tBHQ and dimethylpolysiloxane.

Christopher Kimball, the founder and publisher of Cook’s Illustrated magazine and host of the syndicated cooking show America’s Test Kitchen, says he suspects these chemicals are required for the nuggets to hold their shape and texture after being extruded into nugget-shaped molds.

“The regulations in Europe, in general, around food are much stricter than the U.S.,” Kimball says.

Font:CNN Health –
http://pagingdrgupta.blogs.cnn.com/2010/06/25/a-tale-of-2-nuggets/?hpt=Sbin

Frutas – quando comê-las???]

MEDICINA PREVENTIVA / ORTOMOLECULAR / NUTROLOGIA


Fruta é o mais perfeito alimento, gasta uma quantidade mínima de energia para ser digerida e dá ao seu corpo o máximo em retorno.

O único alimento que faz seu cérebro trabalhar é glicose.
A fruta e principalmente frutose (que pode ser transformada com facilidade em glicose), é na maioria das vezes 90-95 % de água. Isso significa que ela está limpando e alimentando ao mesmo tempo.

O único problema com as frutas é que a maioria das pessoas não sabe como comê-las de forma a permitir que o corpo use efetivamente seus nutrientes.

Deve-se comer frutas sempre com o estomago vazio . Por que?? A razão é que as frutas não são, em princípio, digeridas no estomago: são digeridas no intestino delgado.

As frutas passam rapidamente pelo estômago, dali indo para o intestino, onde liberam seus açúcares. Mas se houver carne, batatas ou amidos no estômago, as frutas ficam presas lá e começam a fermentar.

Você já comeu alguma fruta de sobremesa, após uma lauta refeição, e passou o resto da noite arrotando aquele desconfortável sabor restante? É porque você não a comeu da maneira adequada.
Deve-se comer frutas sempre com o estomago vazio.

A melhor espécie de fruta é a fresca ou o suco feito na hora.

Você não deve beber suco de lata ou do recipiente de vidro. Por que não? A maioria das vezes o suco foi aquecido no processo de vedação e sua estrutura tornou-se ácida

Quer fazer a mais valiosa compra que possa? Compre uma centrífuga.

Você pode ingerir o suco extraído na centrífuga como se fosse a fruta, com o estomago vazio. E o suco é digerido tão depressa que você pode comer uma refeição quinze ou vinte minutos mais tarde.

O dr. William Castillo, chefe da famosa clínica cardiológica Framington, de Massachusetts, declarou que fruta é o melhor alimento que podemos comer para nos proteger contra doenças do coração.

Disse que as frutas contêm bioflavinóides, que evitam que o sangue se espesse e obstrua as artérias.

Também fortalecem os vasos capilares, e vasos capilares fracos quase sempre provocam sangramentos internos e ataques cardíacos.

Agora, uma coisa final que gostaria que mantivesse em sua mente sobre frutas.

Como se deve começar o dia?

O que se deve comer no café da manhã?

Você acha que é uma boa idéia pular da cama e encher seu sistema com um grande monte de alimentos (principalmente café e o pão branco com manteiga ), que levará o dia inteiro para digerir? Claro que não.

O que você quer é alguma coisa que seja fácil de digerir, frutas que o corpo pode usar de imediato, e que ajuda a limpar o corpo.

Quando levantar-se, e durante o dia, o quanto for confortavelmente possível , coma só frutas frescas e sucos feitos na hora.

Mantenha esse esquema até pelo menos o meio-dia, diariamente.

Quanto mais tempo ficar só com frutas em seu corpo, maior oportunidade de ele limpar-se .

Se você começar a se afastar dos outros ”lixos” com que costuma encher seu corpo no começo do dia, sentirá uma nova torrente de vitalidade e energia, tão intensa que você mal acreditará.

Tente durante os próximos dez dias e veja por si mesmo

Os chineses e os japoneses bebem chá quente (de preferencia chá verde) durante as refeições. Nunca água gelada ou bebidas geladas.
Deveríamos adotar este
hábito!

** Líquidos gelados durante e após as refeições solidificam os componentes oleosos dos alimentos, retardando a digestão.

Reagem com os ácidos digestivos e serão absorvidos pelo intestino mais depressa do que os alimentos sólidos, demarcando o intestino e endurecendo as gorduras, que permanecerão por mais tempo no intestino.

Daí o valor de um chá morno ou até água morna depois de uma refeição. Facilita a digestão e amolece as gorduras para serem expelidas mais rapidamente, o que também ajuda no emagrecimento.

Para reverter doenças ou evitá-las…os alimentos!

A parceria de determinados alimentos promovem a eficiência que
operam milagres justamente pelo uso em conjunto dos mesmos:

Isso chama-se sinergia alimentar e o exemplo mais clássico é o uso
de azeite de oliva junto à salada ou o tomate…ou então o peixe cru
com soja…na mesma refeição.

As combinações alimentares são alvo de estudo em Universidades e
são testadas ~diariamente pela vivência ou evolução humana.
Essa relação com a comida esclarece a razão pela qual vivemos mais
e melhor quando seguimos dietas tradicionais que vão passando de
geração em geração.
Ex: arroz e feijão

Exemplo de combinações:
Tomate e Abacate – Os tomates são ricos em licopeno,um antioxiadan-
te que reduz o risco de câncer e de problemas cardiovasculares.E as gor-
duras boas como a do abacate, fazem com que o licopeno seja mais bem
absorvido pelo organismo.
Regar tomates com azeite de oliva, outro exemplo de gordura boa.Tempe-
rar a salada com molhos ricos em gorduras, nozes ou queijo também aju-
dam na absorção de luteína, que esta presente nas folhas verdes e tem
se mostrado benéfica para a visão.

Aveia e suco de laranja – Tomar um suco de laranja enquanto come um
iorgute com aveia limpa as artérias.Essa medida previne os ataques do
coração com duas vezes mais eficácia do que se você tivesse ingerido ca-
da um desses alimentos em momentos separados…
O motivo?
Os componentes orgânicos presentes neles, chamados fenóis, estabilizam
o colesterol ruim quando são consumidos juntos.

Brócolis e Tomate – consumir os dois juntos previne o câncer de próstata.
Essa combinação reduziu tumores na próstata de ratos para os quais não
havia mais alternativa de tratamento.
Tanto um como outro tem reduzem e previnem os tumores.Juntos funcio-
nam melhor…

Diversas Frutas – consumir diversas frutas juntas proporciona mais bene-
fícios para a saúde do que ingerir uma de cada vez.A soma dos potenciais
antioxidantes de cada uma delas , o mix, amplifica essa ação.

Outros exemplos de combinações benéficas:
-Maçã e chocolate;
-Amendoim e trigo integral;
-Ovo e melão;
-Soja e salmão;
-Alecrim e carne vermelha;
-Cúrcuma e pimenta preta;
-Alho e peixe;
-Limão e couve ;
-Amêndoa e iogurte.

fonte:
Pesquisas reunidas e publicadas de diversas
Universidades. Para saber mais sobre as fontes ou
detalhes das combinações pergunte pelo
“comentários”.

O alho funciona?


ALHO PREVINE RESFRIADOS: MITO OU REALIDADE?
Durante séculos, o alho foi exaltado não só por sua versatilidade na cozinha, mas também devido às suas propriedades medicinais.

Sejam quais forem as razões, estudos parecem dar suporte a um efeito do condimento.
Cientistas britânicos acompanharam 146 adultos saudáveis por 12 semanas, de novembro a fevereiro, em um estudo publicado em 2001, com o método duplo cego (nem as cobaias nem os administradores do experimento sabiam que estava tomando placebo).

Aqueles que foram aleatoriamente selecionados para receber um suplemento diário de alho tiveram 24 resfriados durante o período, comparado com 65 no grupo que recebeu placebo (pílula falsa, cuja substância não tem efeito algum no organismo).
O grupo do alho ficou doente durante 111 dias no total, enquanto que o outro grupo ficou mal por 366 dias. Ou seja, os que receberam o suplemento de alho regularmente também se recuperavam mais rapidamente.Além do odor, os pesquisadores perceberam poucos efeitos colaterais, como náusea e erupções cutâneas(vide mais abaixo).
Uma possível explicação para tantos benefícios é que um composto chamado alicina (óleo volátil sulfuroso), o principal componente biologicamente ativo do alho (é a substância que causa o odor característico do alimento), bloqueia enzimas que desempenham um papel em infecções bacterianas e virais. Ou talvez as pessoas que consumiram alho o suficiente simplesmente repeliram as demais pessoas, e assim ficaram livres de seus germes.
Em um relatório desse ano no The Cochrane Database of Systematic Reviews (em português, Banco de Dados de Revisões Sistemáticas Cochrane, em referência ao herói nacional do Reino Unido, Thomas Cochrane), cientistas que examinaram essa pesquisa argumentaram que, embora a evidência seja contundente em relação às propriedades preventivas do alho, mais estudos são necessários.
Eles colocaram que ainda não estava claro se faria alguma diferença ingerir alho bem no começo do resfriado, em vez de fazê-lo durante semanas antes de pegar a doença.Conclui-se, então, que a pesquisa é limitada, mas que, mesmo assim, sugere que o alho pode realmente ajudar a afastar os resfriados. [NY Times].

Um dos benefícios da actualidade: as cápsulas! – evitam o desconforto do mau hálito e até do odor pelos poros mas sobretudo vieram aumentar a quantidade de óleo concentrado responsável pelos efeitos benéficos.O Alho tem várias aplicações… e não só para “afastar vampiros”, mas sobretudo outros monstros mais reais! As bactérias, vermes ou parasitas.
O Alho deve ser consumido cru, pois após ser aquecido ou transformado, perde ou transforma as suas propriedades benéficas.
No caso das cápsulas, os extratos são prensados a frio, macerações ou ainda alho envelhecido, que tem vindo a ser provada a sua eficácia e a ultrapassar as outras apresentações devido ao aumento da concentração das substâncias ativas.
O seu uso excessivo ou em dosagens elevadas pode causar má digestão e irritabilidade da mucosa gástrica. Deve ser evitado se estiver a tomar drogas sintéticas, pode haver o risco de potenciar algumas. Suspender nos casos em que já teve algum sintoma alérgico após a sua ingestão, em grávidas, lactentes e crianças até quatro anos e em pré e pós operatório pois tem efeito anti-plaquetário.

O alho é vegetal e possui um ótimo valor nutricional, contendo vitaminas (A, B2, B6, C), aminoácidos, minerais (ferro, zinco, selênio, iodo) e enzimas e compostos biologicamente ativos.
Até o momento, um dos aspectos mais estudados sobre a farmacologia do alho é sua atividade antimicrobiana, por conta da alicina.
A alicina é a substância mais importante, responsável pelo forte aroma característico e pela maioria das propriedades farmacológicas. Trata-se de um líquido amarelo, com odor acentuado, que se forma quando os dentes de alho são macerados ou mastigados, ou seja, a alicina está potencialmente presente no alho in natura.
A alicina atua no combate a bactérias (principalmente as causadoras de infecções urinárias, diarréias e amidalites) e a vários fungos, como o responsável pelos “sapinhos”. Combate ainda, com sucesso, as infecções virais, incluindo principalmente o vírus da gripe, como demonstraram algumas pesquisas.

Estudos científicos demonstraram a presença de vários compostos que agem terapeuticamente no tratamento de verminoses, desconfortos gastrintestinais, colesterol alto, hipertensão, doença cardiovascular, câncer, além das atividades antiinflamatória, antimicrobiana e antiasmática.

O alho ainda tem se mostrado capaz de combater o Helicobacter pylori, a maior causa de dispepsia, úlceras gástricas e duodenais e de câncer gástrico. Isso se deve ao seu efeito bactericida.Em resumo, os dados de estudos apontam para diversos benefícios à saúde. Isso torna o alho uma especiaria extremamente atrativa de ser incluída no cardápio diário não somente pelo seu aroma e sabor, mas também pelos seus benefícios nutricionais.
O importante é que ele faça parte de sua alimentação diária, pois sua ingestão constante é que traz resultados na prevenção de doenças.

O grão que salva/muda sua vida…the seed that can change your life…

sorry…I tried to translate it ,but Blogger “said” I exceed something…Well in the end is written
how to use it in english…


















how to use it:
To use: Two tablespoons per day mixed in a blender, blend in a glass of fruit juice, on the fruit with the oats, yogurt, coffee in the morning, lunch… They can take people of all ages ( the child, adolescent and elder sister sites). Even pregnant women .

Pesquisa e créditos para :